Campeã olímpica do salto em distância, Maurren Maggi declarou nesta sexta-feira que gostaria que o governo brasileiro aplicasse aos medalhistas olímpicos o mesmo benefício que dará aos campeões mundiais do futebol. Os vencedores das Copas de 1958, 1962 e 1970 terão um bônus de R$ 100 mil, além de um complemento na pensão para igualá-la ao valor máximo, que é de R$ 3.416.

Alguns jogadores que ganharam a Copa já faleceram e o benefício será destinado aos familiares. A medida foi tomada por Lula para beneficiar principalmente os atletas que passam por necessidades. O projeto de lei que prevê o pagamento de bônus e pensão aos jogadores foi enviado ao Congresso Nacional para aprovação.

“Acredito que essa lei deveria ser estendida para os outros esportes”, declarou a campeã olímpica durante evento do anúncio de patrocínio da Nestlé à seleção brasileira de futebol – Maurren também recebe patrocínio da empresa multinacional. “Outros atletas que ganharam medalhas, os mais antigos mesmo, passam por necessidades. Seria legal ver um reconhecimento com eles também.”

Com a medida do governo brasileiro, Pelé, por exemplo, será um dos beneficiados. “A ideia é excelente, principalmente para atletas que disputaram o Mundial e passam por problemas”, declarou o ex-jogador, que não disse se aceitará o benefício. “Mas eu também não sou rico”, completou.