O técnico Sérgio Soares evita antecipar seu time para não “dar armas” ao inimigo. Porém, é certo que não vai mexer na estrutura tática utilizada nas últimas jornadas.

Mesmo contando agora com Rafinha que lhe abre a possibilidade de jogar com dois meias-armadores ele descarta o 4-4-2. “Não estamos preparados, ainda, para voltar a esse sistema”, frisou, temendo tornar a equipe vulnerável como no início da competição.

Assim, Rafinha por enquanto vai disputar posição com o atacante Wando. “Ele faz bem essa função, rodando pelos flancos”, citou Soares. O técnico encara com frieza a “pressão” que o time vem convivendo nos jogos em casa.

“Pressão para vencer em casa existe sempre. Ela não é maior ou menor porque não fizemos um resultado fora”, destacou, que vê seu time ainda em formação. “Só que o tempo está se esgotando. Temos que entrar no returno com tudo”, projeta.

Um dos exemplos citados por ele foi o segundo gol do Campinense, quando todos foram comemorar o gol anotado por Rafinha aos 46 minutos do segundo tempo e “ninguém parou na bola”.

“Faz parte do aprendizado. Descuidos como esse não vão se repetir e acredito que o time chega muito forte na segunda metade da competição”, anunciou. Assim, restam apenas dois jogos, a contar com o de hoje, para Soares processar os últimos ajustes na equipe. “Hoje, temos que vencer. Depois a gente refaz as contas pro que virá pela frente”, arrematou.