Depois de um 0 a 0 na primeira partida da repescagem europeia das Eliminatórias, a Islândia precisa de um empate com gols diante da Croácia na volta, terça-feira, na casa do adversário, para se classificar para sua primeira Copa do Mundo. Com a proximidade de um feito que parecia quase impossível para um país de apenas 320 mil habitantes, o meia Sigurdsson comentou sobre a chance de vir ao Brasil em 2014.

“Estamos preparados para conseguir isso e alcançar o auge de nossas carreiras no futebol”, declarou o jogador do Tottenham, um dos destaques da seleção. “A Croácia ainda é a favorita para avançar, mas este é o tipo de jogo em que o melhor time nem sempre ganha”, completou.

A Islândia chega empolgada para a partida desta terça. Além da possibilidade de ir para o Mundial, a seleção tem a seu lado o fato de ter segurado a Croácia no jogo de ida mesmo atuando durante quase todo o segundo tempo com um homem a menos – Skúlason foi expulso logo no começo da etapa final por falta em Perisic.

“Viemos com um objetivo claro: ir para a Copa do Mundo”, afirmou Sigurdsson. “O resultado na ida dá a oportunidade para ambos os times, e todas as opções estão abertas. Claro que queríamos ter marcado ao menos um gol em Reykjavik, mas nos sentimos grandes por manter o 0 a 0 depois de jogar 40 minutos com um homem a menos em campo.”

Para o técnico da Islândia, Lars Lagerback, a equipe também pode se beneficiar da pressão sobre a Croácia, grande favorita do confronto, principalmente atuando em casa. “Jogando em casa, todo mundo espera que eles vençam. Então acho que a pressão está muito, muito mais do lado croata do que em nosso time.”