Foto: Roberta Borges/ZDL
O barco de Fernanda Oliveira
e Isabel Swan, em Cascais.

São Paulo – Fernanda Oliveira e Isabel Swan podem encarar o ano novo com a sensação de dever cumprido. Em 2007, a dupla conquistou a vaga olímpica para o Brasil na classe 470. O acesso na principal competição do planeta foi assegurado com o sétimo posto no Mundial de Cascais, em julho. Agora, as atletas se preparam para a pré-olímpica nacional, em fevereiro, no Rio de Janeiro, e para as Olimpíadas da China.

?Chegamos ao final do ano com a principal meta alcançada. Obter a vaga para o Brasil no Mundial de Cascais era o nosso objetivo e para isso nos preparamos desde 2005, quando iniciamos essa parceria (Fernanda e Isabel), e também com o técnico Paulo Ribeiro. Ter conseguido a vaga na primeira oportunidade nos deu mais tranqüilidade para trabalharmos focadas nas condições de vento da pré-olímpica no Brasil e das Olimpíadas em Qingdao, na China?, disse Fernanda Oliveira.

Em 2007, Fernanda e Isabel participaram de cinco campeonatos internacionais, sendo que em quatro terminaram entre as oito mais bem colocadas. Em agosto, as brasileiras disputaram a pré-olímpica de Qingdao, na China. O evento simulou os Jogos de 2008 e foi disputado nas mesmas raias da principal competição do planeta. ?O desempenho no Qingdao Test Event foi muito importante. Tivemos um começo com regatas bem conturbadas e fomos crescendo no decorrer da competição, tanto que terminamos em oitavo lugar. Esse poder de reverter uma situação ruim na raia da Olimpíada e conseguir resultados bons, nos mostra que temos condições de velejar bem em 2008 na raia olímpica?, explicou Fernanda.

Com o 17.º posto da Isaf, Fernanda e Isabel são as latino-americanas mais bem colocadas no ranking mundial. ?A responsabilidade não nos assusta. A cobrança é nossa mesma, pelo trabalho que estamos fazendo há alguns anos. Além disso, temos a vontade de fazer bons resultados?, falou Fernanda.

Em dezembro, Fernanda e Isabel treinaram com as líderes do ranking mundial da 470, as italianas Giulia Conti e Giovanna Micol. Como parte de um intercâmbio entre as duplas, as atletas velejaram no Iate Clube do Rio de Janeiro. A parceria segue em 2008, quando as duplas treinarão juntas antes de todas as competições na Europa e na Ásia.

?A Giulia e a Giovanna formam uma dupla muito qualificada. A experiência foi muita proveitosa. As classes olímpicas, por serem muito profissionalizadas, têm uma grande rivalidade. Isso faz com que as pessoas evitem se aproximar dos adversários. No entanto, sozinha não se pode ter referência e por isso é fundamental uma parceria de treino?, disse Fernanda.

Na categoria 470, dois atletas formam a tripulação – a timoneira, no caso Fernanda Oliveira, e a proeira (Isabel Swan), que fica suspensa pelo trapézio. A classe permite o uso de três velas distintas (mestra, buja e balão). O barco pode atingir uma velocidade aproximada de 50 km/h.

Juntas desde 2005, as velejadoras conquistaram os melhores resultados da Classe 470 no Brasil. Elas foram tricampeãs brasileiras (2005, 2006 e 2007), tricampeãs das pré-olímpicas (2005, 2006 e 2007), bicampeãs sul-americanas (2005 e 2006) e quartas no Mundial da China em 2006, melhor resultado na história de uma dupla feminina brasileira em uma classe olímpica.