Foto: Valquir Aureliano/ O Estado
O atacante Keirrison comemora o gol contra a Adap, o primeiro jogando pelo time profissional.

?Eu não consegui nem dormir direito.? A revelação do jovem Keirrison, uma das estrelas do Coritiba na vitória de quinta sobre a Adap, revela a importância que ele e os outros ?meninos do Couto? deram para a partida. A boa atuação dos jovens (além dele, Renan e Pedro Ken) animou a torcida e o técnico Márcio Araújo, contente com a rápida adaptação das revelações.

A festa de Keirrison no primeiro gol alviverde contra a Adap foi emblemática: ele correu para comemorar com a torcida como se não acreditasse muito no que estava acontecendo, beijou o escudo coxa e foi festejado por todos os companheiros, principalmente por Renan que, como ele, fazia seu primeiro jogo no Couto Pereira. ?É muito legal que as coisas tenham acontecido dessa forma. Estou muito feliz em jogar no Coxa?, admite o centroavante, artilheiro da última Copa São Paulo de Futebol Júnior.

As tabelas dos ?meninos do Couto? foram elogiadas pelos outros jogadores do Cori. ?Quando eles fizeram a primeira jogada, até com toque de calcanhar, eu vi que tínhamos algo diferenciado no time?, diz o capitão Anderson. ?Dá gosto ver estes garotos atuarem. Eles já fazem parte do presente da equipe?, concorda o lateral-direito Wilton Goiano.

Eles e outros dos experientes do Coxa foram fundamentais na adaptação da trinca Keirrison, Renan e Pedro Ken ao elenco profissional. Durante o ?exílio? do grupo no interior, para enfrentar União Bandeirante e Paranavaí, os dois jogadores mais velhos do time se encarregaram de acompanhar os jovens por todos os lados. Muita da tranqüilidade deles nas últimas partidas se deve à intervenção de Anderson e do goleiro reserva Kléber – que, apesar de ainda sequer ter estreado, já é um dos líderes do elenco.

Melhor para Márcio Araújo, que ganhou reforços em um momento delicado do Cori no Campeonato Paranaense – o time chegou a ficar na vice-lanterna, apenas três pontos a mais que o Toledo. ?Eu fico satisfeito ao ver os garotos entrando tão bem na equipe, sem aquele receio de errar ou ser cobrado. Eles estão muito bem e vão melhorar cada vez mais. O que é ótimo para todos nós, e perfeito para o Coritiba?, resume o treinador alviverde.

Márcio não mexe no time

Foi a primeira vitória em quatro rodadas. E foi a primeira vitória do Coritiba na temporada por dois gols de diferença. Por isso, e para tentar manter uma base, o técnico Márcio Araújo já definiu o Coxa para a partida de amanhã, às 16h, contra o Toledo, no 14 de Dezembro. Será a mesma equipe que começou o jogo com a Adap.

Segundo o treinador, não haveria motivo pra fazer alterações. ?Se nós formos avaliar, o rendimento do time foi bom e conseguimos um bom resultado. Por isso, o melhor a fazer é manter a equipe?, explica Márcio, que reconhece a necessidade de uma base. ?Chegou a hora de termos um time titular conhecido, sem fazer mexidas toda hora?, resume.

Isto porque o Cori chegou a 49 partidas sem repetir a mesma formação. Desde o Campeonato Brasileiro

os treinadores (Antônio Lopes, Cuca, Antônio Lopes Júnior, Cláudio Marques e Márcio Araújo) não conseguiram – ou não quiseram – manter uma escalação. Como Márcio confirmou a repetição do time, a seqüência fica interrompida antes de chegar à contagem cinqüentenária.

A decisão também faz com que Peruíbe, principal destaque alviverde no final do ano passado, fique no banco de reservas. Na partida contra a Adap, ele foi descartado por estar fora de forma, mas esperava-se que o volante iria atuar no Sudoeste.

?Ele fica no banco e é mais uma boa opção que nós temos?, finaliza Márcio Araújo.