Foto: Walter Alves

Parral foi confirmado como única alteração no time de hoje.

O Paraná Clube busca quebrar uma escrita, no ?bota-fora? de Zetti. O treinador, amanhã, assume o Atlético Mineiro, mas antes disso tenta deixar o Tricolor na liderança do Brasileirão, com uma vitória sobre o Juventude, às 18h10, no Alfredo Jaconi. O time gaúcho tem ampla vantagem no retrospecto do confronto, mas na onda do ?tabu não ganha jogo?, os jogadores prometem muita superação para fechar com três pontos o ciclo de Zetti à frente do representante paranaense.

Contratado em dezembro, o ex-goleiro começou sua jornada no Paraná no dia 3 de janeiro. Hoje à noite, completará o 36.º jogo pelo clube, podendo se aproximar do melhor desempenho neste início de carreira. Há três anos, dirigiu o Paulista de Jundiaí em 19 partidas, chegando ao vice-campeonato paulista com um aproveitamento de 61,40%. Com um resultado positivo em Caxias do Sul, chegaria ao rendimento de 58,33% nesses mais de quatro meses dirigindo o Tricolor.

?É um momento atípico, mas que eu acho interessante?, comentou Zetti, sobre a transferência de comando. O treinador passa o cargo para Pintado, que estará – se não houver imprevistos – presente na preleção derradeira do treinador ao elenco paranista. ?Estou saindo pela porta da frente. Acho justo que eu passe todos os detalhes para aquele que está chegando. Assim, o clube pode se organizar melhor nesse período de transição?, afirmou Zetti.

Em meio ao clima de despedida, ficou ainda mais evidente o bom relacionamento entre atletas e integrantes da comissão técnica. Houve quem sugerisse a efetivação de Silas no comando da equipe. Porém, o ex-meia são-paulino iniciou apenas em janeiro na nova profissão. ?Tudo é uma questão de amadurecimento. Tudo tem o seu tempo?, analisou Zetti, que levará para Minas Gerais não apenas o auxiliar-técnico, mas também o preparador físico Fernando Moreno.

?O bom seria levar também os demais integrantes da comissão técnica, pois conseguimos um entrosamento muito bom?, disse Zetti. ?Mas, aqui, eles vão poder dar seqüência ao trabalho que vinha sendo desenvolvido. Saio deixando muitos amigos no Paraná, em todos os setores do clube?, emendou o treinador. Para fechar sua participação no Tricolor, Zetti mantém o mesmo time da estréia no Brasileirão, à exceção da lateral direita, onde Parral substitui Léo Matos, lesionado.

Ao longo da semana, Zetti procurou fortalecer o sistema com três zagueiros, aplicado com sucesso frente ao Grêmio. ?Fora de casa, a equipe deve ser um pouco mais cautelosa, mas sem perder sua característica de jogo?, finalizou o ?ex? treinador paranista.

BRASILEIRO
SÉRIE A – 2ª RODADA
Local: Alfredo Jaconi (Caxias do Sul).
Horário: 18h10.
Árbitro: Cléber Welington Abade (SP).
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Júnior (SP) e Anderson José de Moraes Coelho (SP).

JUVENTUDE x PARANÁ CLUBE

JUVENTUDE
Michel Alves; Ricardo, Leonardo Silva, Cedrola e Márcio Azevedo; Roger, Radamés, Lauro e Juliano; Michel e Da Silva. Técnico: Valteir Gomes.

PARANÁ
Flávio; Daniel Marques, Toninho e Luís Henrique; Parral, Xaves, Adriano, Joelson e Márcio Careca; Vinícius Pacheco e Josiel. Técnico: Zetti.

Primeira chance na elite nacional

Mesmo antes do acerto definitivo, Pintado já falava como técnico do Paraná Clube. Assim que seu nome ?vazou?, ele conversou com Zetti, trocando informações sobre o clube. Ontem à noite, o ?futuro? técnico tricolor esteve reunido com a diretoria paranista, já em Porto Alegre. ?Tenho meu perfil e quero implantá-lo no clube.

Mas, dando seqüência ao bom trabalho que vinha sendo desenvolvido pelo Zetti?, comentou Pintado.

É mais um discípulo de Telê Santana, buscando projeção no concorrido mercado brasileiro. Ao contrário de Zetti – que a partir da boa campanha no Paulista, em 2004, partiu para clubes da primeira divisão nacional -, Pintado até o momento trabalhou em equipes de menor expressão, nos mercados paulistas e mineiros. Porém, logo no primeiro passo, levantou um título, o de campeão da Série A-2 do Paulista, com a Inter de Limeira.

Depois, passou pelo América-MG, Atlético de Sorocaba, Rio Branco de Americana-SP, Taubaté, Rio Branco de Andradas-MG e Noroeste. Pelo clube de Bauru, esteve perto de ficar com o título de campeão do interior, mas perdeu para o Guaratinguetá, na final. Pintado ficou no Noroeste apenas um mês e, curiosamente, na semana passada havia renovado seu contrato para as disputas da Série C e da Copa FPF.

Será a primeira oportunidade de Pintado em um clube da elite nacional, onde o desafio será repetir o desempenho do ano passado, quando o Paraná chegou à inédita classificação à Libertadores da América. Esta não é primeira vez que o Tricolor vive um momento de ?transição amigável?.

Em 1996, o então técnico Sebastião Lazaroni se transferiu para o futebol turco, indicou Antônio Lopes ao Paraná e ficou por uma semana ?passando o cargo? ao amigo.

Miranda garante que Dinelson não vai pra Gávea

O presidente José Carlos de Miranda negou que esteja negociando com o Flamengo a liberação do meia Dinelson. ?Não sei de onde surgiu isso. Falei ontem com o Kléber (Leite) e ele sequer perguntou sobre a condição do jogador?, disse o presidente José Carlos de Miranda pouco antes do embarque da delegação para Porto Alegre. O dirigente revelou que o rubro-negro carioca pretendia, na verdade, o retorno do lateral-esquerdo Egídio.

?Eles fizeram uma consulta e, como jogamos sempre às claras, conversei com o atleta. Mas o Egídio quer ficar e cumprir seu contrato?, explicou Miranda. O lateral, titular ao longo do estadual e da Libertadores, está no Paraná por empréstimo, até dezembro. No Rio de Janeiro, especulações davam praticamente como certa a transferência de Dinelson para a Gávea. ?No futebol, fala-se muito. Mas, não tem nada, mesmo?, assegurou Miranda.

Dinelson segue em tratamento e trabalhos físicos específicos, devendo retornar aos treinos com o grupo somente após o jogo contra o Cruzeiro, pela terceira rodada do Brasileirão. Se não houver imprevistos, o meia – que foi destaque da equipe no início da temporada – fica à disposição do novo treinador a partir do jogo frente ao São Paulo, no dia 3 de julho. Situação muito parecida com a de Beto, que também está se recuperando de um trauma no pé direito e passando por um período de trabalhos físicos especiais.