O Milan decepcionou mais uma vez na temporada e empatou sem gols nesta terça-feira com o Anderlecht, na estreia das duas equipes no grupo C da Liga dos Campeões da Europa, em pleno San Siro; na outra partida da chave, o Málaga venceu por 3 a 0 o Zenit São Petesburgo, do atacante Hulk, e assumiu a liderança da chave.

Como era esperado, o Milan entrou em campo sem brasileiros, já que Robinho e Alexandre Pato seguem contundidos. Com isso, a equipe apostou suas fichas em Boateng e Pazzini. O único representante do país pentacampeão do mundo na partida era o meia Kanu, ex-Grêmio Barueri e Juventus, ambos de São Paulo, camisa 10 do Anderlecht.

Ainda sentindo a pressão por estrear a Liga dos Campeões em meio a um mau inicio no Campeonato Italiano – duas derrotas e um empate em três jogos – o Milan começou a partida tomando sufoco do rival. O Anderlecht chegou a ter uma boa chance de gol aos 11 minutos, com Kljestan, que terminou com defesa de Abbiati.

Mesmo jogando em casa, o Milan levou perigo ao time belga apenas aos 33 minutos de jogo, com Emanuelson, que finalizou de primeira de dentro da grande área, para a defesa de Proto.

O segundo tempo começou com panorama semelhante, e a primeira boa oportunidade foi do Anderlecht. Aos seis minutos do segundo tempo, após jogada de Mbokani, Biglia ficou cara a cara com Abbiati, mas acabou batendo por cima da trave.

O técnico Massimiliano Allegri ainda tentou mexer no setor ofensivo, tirando Boateng e colocando El Shaarawy, em seu lugar. A mexida, contudo, não foi o suficiente para que os italianos conseguissem mexer no placar da partida.

Na Espanha, o Málaga venceu com autoridade em sua primeira partida em uma fase de grupos da Liga dos Campeões. O 3 a 0 sobre o Zenit São Petesburgo foi construído com dois de Isco e um de Saviola.

A equipe espanhola precisou de 13 minutos para colocar dois gols de vantagem sobre o rival russo. Logo aos três, após assistência de Eliseu, Isco abriu o placar. Dez minutos depois foi a vez de Saviola balançar as redes, marcando 2 a 0.

Notado no início do primeiro tempo apenas por duas faltas cometidas, uma delas tendo colocado a mão na bola, Hulk levou perigo ao gol do Málaga apenas nos instantes finais da primeira etapa, com duas finalizações a gol, que não chegaram a levar grande perigo ao goleiro Caballero.

Na etapa complementar, as duas equipes diminuíram o ritmo e pouco procuraram o gol. Em uma das poucas chances criadas, aos 31 da segunda etapa, Isco voltou a balançar as redes, fazendo o terceiro do Málaga.