Uma Ação Civil Pública da Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais obriga a Fifa a reimprimir ingressos roubados ou furtados. A decisão vale para a semifinal da Copa do Mundo entre Brasil e Alemanha, nesta terça-feira, no Mineirão. A ação, divulgada nesta sexta-feira, dá direito ao torcedor que teve seu ingresso furtado, roubado ou danificado, de receber novo bilhete reimpresso ou a entrada autorizada desde que ele tenha mãos o boletim de ocorrência e documentos pessoais.

Ainda segundo a ação, ajuizada pela 31ª Vara Civil da comarca de Belo Horizonte, a Fifa é multada em R$ 10 mil por cada ingresso não reimpresso. Além disso, a entidade é obrigada a retirar do estádio cartazes afixados dizendo que os bilhetes não serão reimpressos. O roubo de ingressos nas proximidades dos estádios da Copa mesmo dentro do perímetro Fifa tem sido um problema.

Desde a partida entre Argentina e Irã, a terceira que aconteceu no Mineirão, a Fifa não está reimprimindo a entrada mesmo mediante o boletim de ocorrência. Na ocasião, a central de tíquetes do estádio explicou, no dia que a medida foi adotada, por razões de segurança para evitar que torcedores simulem perdas de ingressos para ganhar outra entrada.

Esses problemas não ocorrem só no Mineirão. Nesta sexta-feira, cerca de 200 torcedores afirmaram que foram roubados no Castelão se dirigiram à delegacia instalada no estádio antes do jogo Brasil x Colômbia. Nenhum deles, no entanto, conseguiu entrar no estádio para assistir a partida.