O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, reafirmou que vai procurar assegurar a presença das populações indígenas nos jogos da Copa de 2014, principalmente em sedes como Cuiabá, onde ele esteve nesta quarta-feira para fazer uma vistoria nas obras para o Mundial.

Para o ministro, a inclusão dos índios é um desafio para o Brasil. “Não podemos fazer uma Copa e olhar para as arquibancadas e não ver a presença de nenhum índio”, disse Aldo Rebelo, que defende a adoção de um preço especial de ingressos para a população indígena.

Sobre a venda de bebidas alcoólicas nos estádios brasileiros durante o Mundial, outro tema que está em discussão na Lei Geral da Copa, Aldo Rebelo disse acreditar que “o Congresso tomará uma decisão tranquila, que seja equilibrada e proteja os direitos do consumidor”.

A visita do ministro em Cuiabá começou pelas obras da Arena Pantanal, prevista para ser entregue em dezembro de 2012. Com 43% já concluída, a construção do estádio entrou em nova fase na semana passada, com o início da fixação das estruturas metálicas no setor norte.

Durante a visita, o ministro destacou as oportunidades geradas pela realização da Copa e o legado que ficará para a população das sedes. “Embora os jogos só venham ocorrer em 2014, a geração de emprego para vários profissionais já é uma realidade”, avaliou Aldo Rebelo.

 

Após visitar a Arena Pantanal, Aldo Rebelo vistoriou as obras de mobilidade urbana na cidade, começando pela duplicação da ponte Mário Andreazza (ligação entre Cuiabá e Várzea Grande), que está com 80% dos serviços concluídos e deve ser entregue agora em maio.