Depois de um longo período na reserva, o colombiano Molina parece ter reconquistado a confiança no Santos. Nos últimos quatro jogos, o meia marcou três vezes, e conseguiu o mais importante, voltar ao time titular. Para o jogador, a melhora é fruto da regularidade. “Rendo mais quando começo jogando, e para me firmar preciso de uma seqüência de jogos”, disse.

Apesar de feliz pela boa fase e pelos gols, que inclusive garantiram a segunda vitória do Santos fora de casa, Molina não tem a pretensão de ser o goleador do Santos, função que hoje cabe a Kléber Pereira. “Outros jogadores tiveram a felicidade de marcar gol, mas a dependência vai continuar porque ele faz a diferença dentro da área”, disse o meia. “Não apenas eu, mas Bida e Rodrigo Souto também fizeram gols e é necessário que o time tenha outras alternativas porque nem sempre Kléber Pereira vai estar inspirado.”

O crescimento de Molina coincide com o do Santos, que aos poucos afasta a ameaçada de rebaixamento para confirmar uma vaga à Copa Sul-Americana. A melhora também é fruto do trabalho do técnico Márcio Fernandes, como o próprio Molina reconhece. “A equipe começou a reagir por causa da manutenção de uma escalação. Márcio é um técnico objetivo”, afirmou o jogador, que já especula-se interesse a São Paulo e Grêmio.