Apesar de o Grêmio ter iniciado a temporada de uma forma frustrante, eliminado nas semifinais do Campeonato Gaúcho, o atacante Marcelo Moreno não se arrepende da escolha pelo clube tricolor. O jogador, contratado no início do ano, revelou ao site da Fifa que teve propostas de outras equipes para voltar ao Brasil.

“Tomei a decisão correta, tinha proposta de grandes clubes do Brasil, alguns até maiores, mas meu interesse de vir para cá prevaleceu”, afirmou o centroavante, que marcou três gols no ano, um deles em um Gre-Nal. “Sempre tive uma admiração por esta torcida, de ver o jeito que eles comemoram. Também vim pelo projeto que me passaram. Tudo isso me motivou bastante e estou feliz.”

Ele acredita que a parceria de ataque com Kléber, outro reforço do Grêmio para a temporada, tem tudo para dar certo e elogia a paciência da torcida enquanto isso não acontece. “(Kléber) é um grande jogador, e acredito que a torcida está com um pensamento correto. A gente trabalhando do mesmo jeito que vem fazendo, se entrosando, pode ter certeza que as coisas vão sair no momento certo.”

Nascido na Bolívia, Marcelo Moreno é filho de um ex-jogador brasileiro, Mauro Martins, e chegou a defender o Brasil nas categorias de base, quando atuava pelo Vitória. “Fiquei sozinho em Salvador por uns quatro meses (aos 17 anos), mas depois meu pai veio. Não sabia falar o português direito, ele teve de me ajudar bastante”, conta o atacante.

“Foi muito difícil o início no Brasil, mas não se compara a dificuldade de sair daqui para a Ucrânia”, afirma. “Idioma, alimentação, cultura bem diferentes. Quem sabe se isso não fez eu render o que queria quando cheguei”, diz ele, tentando explicar o fraco desempenho pelo Shakhtar Donetsk.