O técnico José Mourinho vai chegar neste sábado à sua 100.ª partida à frente do Real Madrid. Na partida diante do Betis, pela 27.ª rodada do Campeonato Espanhol, a equipe madrilenha pode alcançar a marca de 11 vitórias seguidas, algo bastante raro numa competição de alto nível. Para o treinador, não é isso que o fará entrar para a história do clube. Faltam títulos.

“São números muito bons os que estamos conseguindo, mas na história do Real Madrid existem alguns que já conseguiram muito mais que eu. Minha intenção é merecer mais, que os números sejam cada vez melhores e que se traduzam em títulos. Gostaria de fazer mais do que fiz até hoje para ter um reconhecimento na história do clube”, disse Mourinho, nesta sexta, em entrevista coletiva.

Para um treinador tão acostumado a títulos no Porto, no Chelsea e na Inter de Milão, a escassez deles no Real Madrid pode ser uma novidade, mas não faz ele se arrepender da decisão que tomou há quase dois anos. “Estava bem na Inter, mas pensei que em um determinado momento da minha carreira teria que treinar o Real Madrid para sentir que estive nos maiores. É uma experiência com muitas coisas positivas, algumas negativas, como tudo na vida, mas é uma experiência inesquecível e fantástica, que está me fazendo melhor profissional”.

Com relação ao jogo deste sábado, contra o Betis, nem os 10 pontos de vantagem sobre o Barcelona nem a proximidade com a partida de quarta, contra o CSKA Moscou, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, vai impedir que Mourinho leve a campo força máxima em Sevilha.

“Vou jogar com minha equipe mesmo tendo uma partida de Liga dos Campeões dentro de três dias. Não vou deixar nenhum jogador fora pensando nesta partida. Parece-me um adversário com qualidade, uma boa equipe com um treinador inteligente que prepara bem as partidas e uma torcida que os apoia. Tenho razões para pensar que será uma partida difícil”, comentou Mourinho.

A única dúvida é Benzema, que voltou a treinar nesta sexta, depois de um período afastado por lesão, foi relacionado, mas ainda não sabe se joga. “Tenho um pouco de esperança que ele possa estar amanhã (sábado), mas sem arriscar. Se existir risco não o usaremos, pelos dois meses de competição que teremos pela frente”, explicou o treinador.