O Ministério Público do Amazonas entrou com uma civil pública nesta terça-feira, com pedido de liminar, para suspender a venda de ingressos para a partida entre Brasil e Colômbia, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O motivo é o alto valor dos ingressos, considerado abusivo. A partida está marcada para o dia 6 de setembro, na Arena Amazônia.

A ação foi protocolada pelo promotor Otávio Gomes, da 51ª Promotoria de Justiça Especializada na Proteção e Defesa do Consumidor do Amazonas. O pedido é embasado nos valores cobrados pela CBF em outras partidas das Eliminatórias.

No Castelão, em Fortaleza, onde o Brasil enfrentou a Venezuela no ano passado, os ingressos variaram de R$ 35 (meia entrada) a R$ 300. Em Manaus, o bilhete mais barato sai por R$ 126,50 (meia), enquanto que o mais caro chega a R$ 460. A comparação é entre setores similares.

No pedido encaminhado à Justiça do Amazonas, a promotoria pede que a venda dos ingressos seja suspensa “até a designação de valores compatíveis com os demais estados”, bem como a devolução de valores a quem já adquiriu entradas para o jogo. O promotor pede ainda que todos os lugares sejam numerados. Procurada, a CBF informou por meio de sua assessoria que ainda não foi citada pela Justiça e, por isso, não iria se pronunciar.