Um dia depois de finalizar a compra do Liverpool, o principal acionista do grupo New England Sports Ventures (NESV), John Henry, assistiu ao treino deste sábado e se reuniu com os jogadores do clube inglês. A mudança de comando já renovou a esperança do elenco e dos torcedores, trazendo confiança de que a má fase chegou ao fim.

Depois de um conturbada batalha jurídica , o NESV formalizou a compra na sexta-feira, ao desembolsar 300 milhões de libras. Os antigos donos do clube, os norte-americanos Tom Hicks e George Gillett Jr., eram contra o negócio, por acharem o valor muito baixo, mas foram obrigados a se render diante das enormes dívidas que acumularam.

Maior campeão da história do Campeonato Inglês – tem 18 títulos, ao lado do Manchester United -, o Liverpool está na zona de rebaixamento nesta temporada. Mas agora, sob nova administração, tem chance de reagir já neste domingo, quando faz o clássico com o Everton pela oitava rodada.

“Alguns jogadores, entre eles eu, pudemos conversar com senhor Henry durante o almoço”, revelou o atacante holandês Babel, através do Twitter. “Foi uma reunião rápida, mas boa. Ele é uma pessoa humilde e está orgulhoso por fazer parte do LFC (Liverpool Football Club)”, completou o jogador.

A fanática e enorme torcida do Liverpool também comemorou a venda, principalmente por causa da desastrosa administração desde que Tom Hicks e George Gillett Jr. compraram o clube no começo de 2007. E o NESV já assumiu o negócio prometendo devolver a grandeza do gigante do futebol inglês.

“Foram três anos difíceis (da antiga administração) e se criaram muitas expectativas. Será preciso muito trabalho para que o clube esteja onde tem que estar”, afirmou John Henry. “Existe um grande grupo dentro e fora do campo, e podemos utilizá-lo como base. Mas não será fácil.”