Ainda faltam seis corridas para o final, mas ontem o Mundial de F-1 ganhou uma cara. Cara de duelo de dois pilotos, Lewis Hamilton, da McLaren, e Mark Webber, da Red Bull. Dos cinco candidatos ao título, foram os únicos que marcaram pontos no GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps. Os outros três, Sebastian Vettel, Jenson Button e Fernando Alonso, viveram uma espécie de tragédia coletiva no instável domingo belga.

O resultado foi que ambos abriram uma boa vantagem na classificação. Hamilton, com sua terceira vitória no ano, foi a 182 pontos, apenas três à frente de Webber. Vettel, o terceiro, agora está 31 pontos atrás do líder. Se vencer a próxima etapa, na Itália, não alcança os líderes, mesmo se eles não pontuarem. “Uma hora a equipe vai ter de tomar uma decisão, e essa hora está chegando”, disse o australiano ontem, referindo-se à estratégia que a Red Bull, cedo ou tarde, assumirá diante de seus pilotos, passando a dar a preferência àquele que tiver mais chances de título.

Ontem, Webber estava na pole e largou mal, com um provável problema na embreagem. Seu carro empacou e ele perdeu seis posições na primeira volta. Hamilton assumiu a ponta, com Kubica em segundo e Button em terceiro. No fim da primeira volta, o primeiro desastre para um dos candidatos à taça: Alonso foi acertado por trás por Barrichello. O brasileiro abandonou seu 300.º GP e o espanhol conseguiu se manter na pista, que estava molhada em alguns pontos. Mas tudo deu errado para ele a partir de então, com escolha errada de pneus e, no final da prova, uma rodada solitária quando a chuva voltou.

Vettel e Button saíram do combate na volta 16, quando o alemão tentou passar o inglês, perdeu o controle do carro e bateu na lateral da McLaren do atual campeão do mundo. Jenson abandonou e Sebastian seguiu na corrida. Mas tomou uma punição, teve um pneu furado e chegou apenas em 15º. Pediu desculpas a Button. “Cometi um erro e lamento muito ter estragado a corrida dele e a minha”, falou.

Com os três afastados dos pontos, lá na frente Hamilton dominava a prova e Webber recuperava as posições perdidas na largada com o bom trabalho da Red Bull nos boxes. Atrás, a briga foi ótima com pilotos que largaram do fundo do grid, como Schumacher (de 21.º para sétimo no final), Rosberg (de 14.º para sexto), Kobaysahi (de 17.º para oitavo) e Petrov (de 23.º para nono). Kubica fechou a prova em terceiro, conseguindo seu terceiro pódio no ano, e Felipe Massa, numa corrida discreta, terminou em quarto.

A próxima etapa do campeonato acontece no dia 12 de setembro em Monza. Antes, no dia 8, a Ferrari será julgada pelas ordens de equipe que permitiram a Alonso vencer o GP da Alemanha. Se perder os pontos daquela corrida, o piloto espanhol ficará praticamente fora da disputa pelo título.