Chegou ao fim a passagem do colombiano Muñoz pelo Coritiba. Após vir para reforçar o elenco alviverde com  status de ?jogador de seleção?, o atacante viveu mais machucado e em tratamento no departamento médico do que em campo. Aliás, nos gramados, a torcida só o viu duas vezes e nas duas deixou muito a desejar. Com o contrato encerrado desde sábado, a diretoria passou a responsabilidade da renovação para o técnico René Simões, que acha que o custo/benefício do atleta é muito alto para a permanência no Alto da Glória. Assim, hoje ele será chamado para acertar a saída do clube.

?O Muñoz é um jogador que teve um passado muito bom, mas nesse momento eu falei para a diretoria que, nas condições que teriam que pagar o jogador, o custo/benefício não é o mais adequado?, revela o treinador. Na visão de René, o que mais o atacante precisa agora é jogar, mas esse espaço ele não terá no Coxa. ?Daqui para frente pode ser que o Muñoz se redescubra e faça um campeonato em outra equipe, mas aqui é difícil. É muito mais conveniente ele dar segmento na carreira em outro clube?, justifica.

Com a decisão tomada pelo treinador, a diretoria vai chamar o jogador para acertar a saída. ?A gente ia partir para uma renovação, mas se o treinador diz que não vai aproveitar ele, então não podemos renovar?, diz o coordenador de futebol João Carlos Vialle.

Na contratação do colombiano, havia um pré-acordo de renovação para mais um ano, mas o baixo rendimento força a dispensa. ?Amanhã (hoje), vamos conversar com o jogador?, aponta o dirigente.

Vindo do Palmeiras, ele tinha sido emprestado até sábado, mesma data do fim do vínculo com o clube paulista. Um bom desempenho valeria uma renovação por mais um ano, mas nada disso aconteceu.

Se machucou, demorou demais para se recuperar e só entrou em campo duas vezes. Agora, quando está totalmente recuperado e apto, enfrentaria a concorrência de Gustavo, Henrique Dias, Keirrison, Hugo e Ânderson Gomes e teria um salário bem maior do que todos eles.

?Reforços? pro René

O técnico René Simões abriu a semana sem dar pistas sobre o que pode fazer na equipe para a partida contra o CRB. A única certeza é que quatro reforços poderão ser utilizados pelo treinador. O volante Rodrigo Mancha, os meias Marlos e Caio e o atacante Hugo estão recuperados fisicamente e à disposição para os jogos. Se vão a campo ou se a equipe que venceu o Fortaleza será mantida ainda é uma incógnita. ?Nós temos muitos treinamentos ainda e vamos ver?, despista René.

De acordo com ele, é necessário ver como estão os jogadores que estão voltando agora. ?O Caio não joga há bastante tempo, dá para jogar dois tempos? Não sei. Então, vamos pensar se começamos já com uma substituição, porque às vezes é arriscado e às vezes a gente corre o risco?, justifica. O mesmo vale para Rodrigo Mancha, Marlos e Hugo.

Os três se recuperaram de lesões, estão aptos fisicamente e estão treinando normalmente. Só dependem do treinador para enfrentar o CRB, às 16h de sábado, no Couto Pereira.

Hoje, o elenco volta a trabalhar normalmente no CT da Graciosa em dois períodos; amanhã, repete a dose no CT no período da tarde e, na quinta-feira, acontece o coletivo-apronto no gramado do Alto da Glória. Ontem, o elenco foi submetido a uma bateria de exames bioquímicos, trabalhos físicos e situações de jogo, como atuar com um jogador a mais.