O técnico Muricy Ramalho considerou justo o empate no clássico com o Corinthians, neste domingo, em Barueri, e enalteceu a força de vontade de seus jogadores. Para ele, a maior dificuldade para o São Paulo decolar no Campeonato Brasileiro é que os adversários têm um alto nível.

“Não estamos pegando times mais ou menos, é só pedreira. Pelo menos a equipe está dando mais resposta do que ano passado. Não ainda no futebol, mas em comprometimento. A maneira que estamos encarando é bem diferente do ano passado. O time não desiste, vai para cima. No futebol, estamos devendo um pouco ainda, mas isso nós consertamos”, disse o treinador.

Uma das reclamações em cima do trabalho de Muricy é que ele ainda não encontrou sua formação ideal. Já testou o time com três atacantes e também com dois meias, mas ainda não chegou a um consenso com a comissão técnica. “Não é o que eu esperava, mas até esse momento da temporada está bom”, explicou ele, um pouco contrariado com a cobranças.

No clássico deste domingo, ele viu Ganso fazer a diferença no segundo tempo, quando o jogador deu um belo passe para Luis Fabiano marcar o gol do empate. “É o que ele tem de fazer, participar um pouco mais da partida. É o jogador que faz a ligação com o ataque”, argumentou Muricy.

Para Muricy, o clássico foi um jogo de dois tempos distintos. “O primeiro tempo foi muito chato. Só no final que tivemos lances de um lado e de outro, mas foi muito pouco. No segundo tempo, o gol do Corinthians mudou o jogo, todo mundo se abriu e ficou mais bonito. Tivemos um bom volume de jogo. Apesar de termos jogado na quarta-feira (contra o CRB, pela Copa do Brasil), o time se manteve forte na parte física e foi para cima. Acho que o resultado foi justo. Foi um jogo muito igual e ninguém mereceu ganhar”, avaliou.

Bem humorado em alguns momentos, ele até brincou com a situação com o técnico Mano Menezes. O clima entre os dois não era dos melhores desde que o adversário insinuou que o São Paulo entregou o jogo para o Ituano no Paulistão, o que prejudicou o Corinthians. Para Muricy, a situação está superada. Tanto que ele até cumprimentou Mano antes do clássico deste domingo.

“Ele colocou as regras. Eu tenho de ganhar do Ituano, tenho de ir cumprimentar porque sou mandante (risos). Eu vou cumprir, não tem problema. Temos de valorizar as coisas positivas. Vivemos em um país de coisas ruins. Aquilo lá passou”, concluiu Muricy.