Com a derrota contra o Atlético Mineiro, em Sete Lagoas (MG), e mesmo com os tropeços dos líderes, acabou de vez o sonho do Santos de ganhar o Campeonato Brasileiro. Agora, o técnico Muricy Ramalho está diante de um dilema. Não sabe se começa desde já a dar descanso aos jogadores mais desgastados, já pensando no Mundial de Clubes da Fifa, ou se primeiro se preocupa em somar os sete pontos necessários para afastar o quanto antes o pequeno risco de rebaixamento à Série B. O time está em 13.º lugar, com 38 pontos, sete à frente do próprio Atlético Mineiro, que abre o bloco dos quatro clubes mais ameaçados de cair.

Sem Neymar, suspenso pela expulsão contra o Atlético, Muricy Ramalho vai mudar o time e até o esquema tático, saindo do 4-3-3 para o 4-4-2, para o jogo contra o Grêmio, neste domingo, na Vila Belmiro, pela 30.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Danilo será passado para a lateral direita em razão da ausência de Crystian (também foi expulso na última quinta-feira) e o meio de campo deverá ter Adriano (com dores musculares, nem viajou para Minas Gerais), Henrique, Arouca e Ibson, que retorna após cumprir suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O colombiano Rentería ou Alan Kardec e Borges serão os atacantes.

“Não vou estourar ninguém porque não posso perder jogador neste momento”, afirmou o treinador, após a derrota em Sete Lagoas. De acordo com Muricy Ramalho, há titulares que estão atuando sob risco, no limite da capacidade física, como os veteranos Léo, Durval e Edu Dracena, além de Arouca, que sofreu quatro contusões na temporada.