Em desabafo nesta sexta-feira, o técnico Muricy Ramalho rebateu às críticas que tem recebido à frente do Palmeiras e respondeu às declarações de Vanderlei Luxemburgo. O treinador do Santos disse na terça-feira que seria campeão brasileiro, com rodadas de antecedência, caso ainda estivesse no comando do rival.

A resposta veio nesta sexta. Muricy criticou as declarações e explicou a queda de rendimento do Palmeiras quando ocupava a liderança do Brasileiro. “Futebol não tem ética. Por isso eu não gosto de falar de outro time ou técnico. É bom o Vanderlei ouvir isso. O time caiu de produção quando teve os desfalques. Não tinha jogadores iguais aos que saíram. O time é forte, mas no ano que vem vamos montar um plantel ainda mais forte”, prometeu.

Muricy lembrou suas conquistas recentes para responder às críticas que tem recebido neste final de Brasileiro. “Fui vice-campeão em 2005, campeão em 2006, bi em 2007 e tri em 2008. Em qualquer lugar do mundo seria elogiado, mas aqui sou questionado. Espero ser campeão mais uma vez. Foi para isso que me contrataram”.

O treinador aproveitou a entrevista coletiva para reafirmar o bom clima no grupo do Palmeiras. “Quanto mais pisam nesse grupo, mais ele fica junto. Teve a briga do Obina e do Mauricio, mas isso não quer dizer que todos se odeiam aqui. Meu trabalho, agora, é esse. Deixar o grupo ainda mais junto”, completou.

Para Muricy, os socos e pontapés que o atacante Vágner Love trocou com três torcedores fortaleceram a união dos jogadores. “Vocês não têm ideia de como isso une o grupo. Vai ficar todo mundo mais junto porque foi um companheiro teu que passou por isso”.