O britânico Andy Murray vai disputar a final do Aberto da Austrália com o sérvio Novak Djokovic. Nesta sexta-feira, o número 3 do mundo garantiu presença na decisão ao derrotar o suíço Roger Federer, segundo colocado no ranking da ATP, por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 6/7 (5/7), 6/3, 6/7 (2/7), 6/2, em 4 horas.

Assim, na decisão de domingo, Murray vai tentar evitar que Djokovic conquiste pelo terceiro ano consecutivo o título do Aberto da Austrália. Após ser campeão pela primeira vez de um torneio do Grand Slam no ano passado, quando venceu o US Open, o britânico vai buscar um inédito título do Aberto da Austrália.

Em Melbourne, o número 3 do mundo foi derrotado nas finais de 2010 e 2011. No total, ele participou de cinco decisões de torneios do Grand Slam, com quatro derrotas. Porém, nesta sexta-feira, ele encerrou uma série negativa diante de Federer, que o havia vencido em todos os duelos nesse tipo de torneio. As três derrotas foram em finais, sendo a última na decisão de 2012 de Wimbledon. O britânico, porém, ampliou para 11 a 9 a sua vantagem no confronto direto com o suíço.

Diante de Djokovic, Murray tem retrospecto negativo com 10 derrotas e sete vitórias. Um desses triunfos, porém, lhe rendeu o título do US Open no ano passado. O britânico perdeu para o sérvio nos outros dois confrontos em torneios do Grand Slam – na final de 2011 e na semifinal de 2012. Já Federer, dono de quatro títulos do Aberto da Austrália, foi eliminado pela terceira vez consecutiva nas semifinais em Melbourne.

O JOGO – Nesta sexta, Murray começou a partida bastante agressivo. O britânico teve o seu saque ameaçado apenas uma vez no primeiro set e conseguiu uma quebra de serviço no terceiro game. Assim, venceu uma parcial em que somou 16 winners e 16 erros não-forçados.

Federer equilibrou o duelo no segundo set, que não teve quebras de serviço. No tie-break, o suíço abriu 4/1, viu Murray esboçar uma reação, mas acabou vencendo por 7/5 para empatar o jogo. No terceiro set, Murray converteu um break point no sexto game e em seguida abriu 5/2. Sem muitas dificuldades, o britânico fechou a parcial em 6/3 com um ace.

O quarto set foi o mais emocionante e com reviravoltas da partida. Federer chegou a abrir 4/1, mas permitiu a reação de Murray, que empatou a parcial em 4/4. O britânico conseguiu uma quebra de serviço no 11º game e fez 6/5. Porém, não confirmou o seu saque quando poderia fechar o jogo, o que provocou a realização do tie-break em que o suíço foi bem superior e venceu a parcial, que durou 1 hora e 11 minutos.

A derrota não abateu Murray, que abriu 3/0 no quinto set com uma quebra de serviço no segundo game. Superior fisicamente, o britânico voltou a quebrar o saque de Federer no oitavo game para fechar a parcial em 6/2 e o jogo em 3 sets a 2, garantindo a sua classificação para a final do Aberto da Austrália.