Andy Murray fez valer com autoridade a sua condição de segundo cabeça de chave do Masters 1000 de Madri, neste sábado, ao vencer o japonês Kei Nishikori por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4, na semifinal da competição realizada em quadras de saibro na capital espanhola.

Com o triunfo, o tenista britânico se credenciou para enfrentar na decisão do torneio, neste domingo, o espanhol Rafael Nadal, atual bicampeão e quatro vezes vencedor do evento realizado em seu país. Horas mais cedo, o astro da casa se garantiu na final ao superar o checo Tomas Berdych por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/3) e 6/1.

A decisão irá marcar o 21º confronto entre os dois tenistas no circuito profissional, sendo que o espanhol levou a melhor em 15 deles e assim defenderá larga vantagem no retrospecto. No último duelo entre os dois, também disputado em quadra de saibro, Nadal arrasou com parciais de 6/3, 6/2 e 6/1 na semifinal de Roland Garros do ano passado. Nesta superfície, por sinal, o tenista da Espanha acumulou seis vitórias em seis jogos.

No duelo diante de Nishikori, Murray começou bem e, sem ter o seu saque quebrado por nenhuma vez no primeiro set, ainda converteu dois de quatro break points para abrir a vantagem inicial de 6/3. Já na segunda parcial, o japonês até conseguiu vencer um game no serviço do seu rival, mas o britânico voltou a aproveitar duas de quatro chances de quebra para fazer 6/4 e liquidar a partida.

Essa foi a quarta vitória de Murray em cinco jogos com Nishikori, que havia levado a melhor no último deles, no ATP Finals do ano passado, na primeira fase do torneio que reúne os oito melhores tenistas da temporada.