Assim como Novak Djokovic, Andy Murray conquistou nesta quinta-feira a 50ª vitória na temporada 2015. O escocês alcançou a marca ao derrotar o luxemburguês Gilles Müller com facilidade, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/2, e garantir vaga nas quartas de final do Masters 1000 de Montreal, no Canadá.

A marca de 50 triunfos confirma a nova fase regular do tenista britânico, atual número três do mundo. Murray venceu três torneios neste ano e sofreu apenas oito derrotas. São números admiráveis, mas ainda abaixo dos de Djokovic. O número 1 do mundo, que também faturou a 50ª vitória do ano nesta quinta, tem seis títulos e apenas três derrotas.

O escocês tenta alcançar o rival no Canadá, onde já brilhou duas vezes, em 2009 e 2010. Para tanto, vem exibindo grande performance no piso duro de Montreal. Nesta quinta, ele praticamente não deu chances a Gilles Müller. Salvou quatro break points e venceu o set inicial sem maiores sobressaltos.

Na segunda parcial, chegou a perder o saque. Mas não teve o triunfo ameaçado. Faturou três quebras e encaminhou a vitória, confirmada após 1h05min. Nas quartas de final, ele terá pela frente o vencedor do confronto entre o francês Jo-Wilfried Tsonga e o australiano Bernard Tomic, que se enfrentam ainda nesta quinta.

Neste mesmo dia, Murray ainda voltará à quadra para jogar na chave de duplas. Ele e o indiano Leander Paes vão enfrentar Jamie Murray, irmão mais velho de Andy, e o australiano. Será a primeira vez que os irmãos escoceses vão se enfrentar no circuito profissional.

Pela chave de simples, o francês Jeremy Chardy conteve o saque poderoso do croata Ivo Karlovic e se garantiu nas quartas de final com uma vitória de virada, por 4/6, 7/6 (7/1) e 6/4. Chardy vai duelar agora com o australiano Nick Kyrgios ou com o norte-americano John Isner.