Quando o São Paulo vinha de duas vitórias e esperava ter tranquilidade, uma semana movimentada mexeu com o elenco antes de um dos jogos mais complicados da tabela do Campeonato Brasileiro. A possibilidade de mais jogadores saírem marcou a preparação da equipe para o confronto direto contra o Sport, neste domingo, às 16 horas, na Arena Pernambuco, no Recife, pela 14.ª rodada. A vitória pode significar uma vaga no G4.

A grande dificuldade para o São Paulo é o poderio do adversário como mandante. Em sete jogos no Recife, a equipe do técnico Eduardo Baptista ganhou seis, empatou um e detém uma sequência de 25 partidas de invencibilidade. A última derrota para o Goiás, por 1 a 0, ocorreu em outubro do ano passado.

O excelente retrospecto em casa é o segredo da campanha surpreendente do Sport. O time que tem menos derrotas na competição, somente uma, soma 24 pontos, dos quais 19 foram conquistados como mandante. As duas equipes estão empatadas na tabela de classificação e podem fechar a rodada no G4 em caso de vitória e de uma combinação de outros resultados.

O desafio de enfrentar o Sport representa para o São Paulo o teste ideal para mostrar que a equipe realmente reagiu na competição. Vem de duas vitórias seguidas e se programou para ter uma semana tranquila antes do jogo deste domingo. Os jogadores ganharam dois dias de folga e só começaram a preparação para enfrentar o time pernambucano na última quarta-feira.

Mas logo depois o clube voltou a viver dias agitados. O interesse do Orlando City pelo meia Paulo Henrique Ganso, a sondagem do futebol búlgaro por Jonathan Cafu e a proposta do Cruz Azul, do México, por Luis Fabiano – negociação que acabou frustrada – voltaram a causar dúvida no técnico Juan Carlos Osorio, que mostrou preocupação. “Sempre procuro estar longe dos contratos dos jogadores. Respeito muito as decisões deles. A única coisa que espero é que os seus corações estejam com o São Paulo”, afirmou o colombiano.

Recentemente, a diretoria são-paulina negociou os volantes Denilson e Souza e o lateral/zagueiro Paulo Miranda. Além disso, quase ficou sem Rodrigo Caio, que teve uma negociação frustrada com o futebol espanhol. Questionado se está desanimado após oito partidas no comando do São Paulo, o colombiano negou. “Tenho mais ânimo para trabalhar. Vejo como uma meta profissional e como uma oportunidade de tratar outras coisas e melhorar”, afirmou.

SEGREDO – A equipe fechou a preparação para a partida com três dias de treinos secretos. Osorio prometeu que vai fazer mudanças no time e contou que Luis Fabiano não atuou entre os titulares. A tendência é ter em campo uma formação menos ofensiva do que a usada na vitória sobre o Coritiba, quando o São Paulo jogou com três atacantes e o meia Michel Bastos na lateral esquerda.

O São Paulo continua sem Bruno, Reinaldo e Wesley, machucados. Thiago Mendes deve continuar improvisado na lateral direita, com Reinaldo de volta à esquerda. O provável companheiro de Alexandre Pato será Centurión. “Estamos trabalhando coisas diferentes para o jogo. O Sport aposta muito no jogo aéreo, tem uma equipe alta e zagueiros fortes. O nosso time está definido, exceto por duas coisas”, adiantou Osorio.