Tilápias. Esse é o único pensamento do veterano Paulo Baier durante suas férias em Ijuí, interior do Rio Grande do Sul, sua terra natal. A frustrante temporada de 2014 pelo Criciúma, foi dispensado e o time rebaixado, para a Série B, fez com que o veterano ex-meia do Atlético optasse pelo retiro estratégico no sítio da família. “Passeio pela nossa propriedade, jogo umas peladas e pesco tilápia. O melhor peixe que existe”, brinca.

Mas nem só de anzóis, iscas e fritadas se resume o janeiro do “Veinho”. Com o objetivo de completar mais uma temporada como jogador profissional, ele espera por propostas mais interessantes dos que a que apareceram até agora. A ideia é chegar ao final de 2015 com mais um bom trabalho no currículo para finalmente se aposentar, já aos 41 anos de idade.

“Estou na espera de uma boa proposta. Pretendo jogar mais um ano. Estou bem fisicamente e bastante motivado”, disse o meia durante uma pausa nas pescarias e passeios pela fazenda da família. Baier já recebeu vários convites nenhum deles de times do Paraná -, mas até agora nada que tenha realmente lhe impressionado. O objetivo é um contrato para o ano todo, não apenas para os estaduais.

Terminar a carreira de maneira honrosa é o objetivo. No Criciúma a meta poderia ser atingida, mas erros de todos os lados comprometeram o desempenho da equipe. “Foi meio bagunçado. Muitas trocas de treinadores. No Brasileiro não dá para fazer apostas. Sentimos muito a queda do Criciúma”, lamentou Baier. No time catarinense ele encontrou a projeção que esperava para sua carreira.

O meia se mostra preocupado com a retração do mercado brasileiro, mas acha que pode ajudar muito ainda em 2015. “Não é mais a grana que importa. Quero um planejamento, uma estrutura para trabalhar, um treinador legal que apoie e motiva. Por isso ainda aguardo a proposta ideal”, afirmou.

Pelo Atlético Paulo Baier fez 159 jogos e marcou 46 gols. Ficou no Furacão por quatro temporadas e criou bastante empatia com o torcedor após a queda para a segunda divisão em 2011. Naquela época, disse que ficaria até o clube retornar à Série A e em 2012 foi um dos principais jogadores do clube nessa caminhada. Em 2013 participou da ótima temporada que levou o time à Libertadores da América.

Teve do presidente Mário Celso Petraglia a promessa de que seu contrato seria renovado e o acordo chegou a ser anunciado oficialmente pelo clube. Porém o presidente mudou de ideia e não honrou sua palavra. Por isso, Baier move uma ação contra o Furacão na Justiça. A primeira audiência de conciliação já aconteceu e não houve acordo. O carinho de parte da torcida foi-se junto com o meia para o Rio Grande do Sul.