Começou por volta das 13h30 desta segunda-feira, na sede da CBF, no Rio, a reunião entre representantes dos 40 clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro, presidentes de federações estaduais e parlamentares para discutir o texto do Projeto de Lei (PL) que irá para votação no Congresso e que visa parcelar as dívidas dos clubes com a União. A expectativa é que o encontro se prolongue durante toda a tarde.

“Temos que discutir o que é melhor para o futebol brasileiro e para os clubes”, limitou-se a dizer o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, que chegou atrasado ao encontro. “Estamos na expectativa de que se ache uma solução boa para os clubes, que redundará em benefício para o futebol brasileiro”, avaliou Rubens Lopes, presidente da Federação de Futebol do Rio (Ferj).

Na semana passada, a presidente da República, Dilma Rousseff, reuniu-se com representantes do movimento Bom Senso FC, na segunda-feira, e com dirigentes de 12 dos maiores clubes do País, na sexta. O encontro desta tarde visa estabelecer um acordo que agrade a todas as partes – mas ninguém do Bom Senso, que representa os atletas, foi convidado.

“Já conversamos bastante, já recebemos visitas do pessoal ligado ao ministério do Esporte, ao ministério da Fazenda. Uma troca de opiniões já houve no decorrer do ano. Tenho a impressão que hoje a gente chegará ao denominador comum, numa decisão que agrade ao Fisco e aos clubes”, frisou Afonso Celso Raso, presidente do América-MG.

Já Rubens Lopes adotou tom mais cauteloso. “Não se pode sem um estudo, sem avaliar com toda tranquilidade, com profundidade, uma avaliação de risco, benefício, [sobre] o que possa acontecer. Não se pode fazer de bate-pronto. A coisa tem que ser feita não na achologia, mas com técnica, com estudo. Isso tem que ser feito a nível de razão, não de emoção”, destacou o dirigente.

O presidente da CBF, José Maria Marin, foi um dos últimos a entrar no auditório da CBF, onde acontece o encontro. O futuro presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, também está presente, assim como o deputado federal Vicente Candido, vice-presidente da Comissão Especial do Proforte, projeto que visa o refinanciamento das dívidas dos clubes e captação de um fundo financeiro aos clubes por meio de uma loteria federal.