O técnico Givanildo Oliveira está de volta a Recife. Poucas horas depois de confirmar a saída de Alexandre Gallo, a diretoria do Náutico assinou com o treinador que é conhecido pelos vários acessos conseguidos durante a sua carreira.

O Náutico vem de uma derrota por 4 a 3 para o lanterna Sampaio Corrêa, no Castelão, em São Luís, no último sábado. O resultado deixou o time na sétima colocação e com 31 pontos, agora a sete pontos do CRB, último time dentro do G4.

A última vez que Givanildo trabalhou em Pernambuco foi em 2010, quando dirigiu o Santa Cruz na Série D do Campeonato Brasileiro. Mas, antes disso, Givanildo já tinha uma história no Náutico, time que dirigiu em outras três oportunidades, a última delas em 2003, também na Série B.

Ele tem 95 jogos à frente do clube e já chega para comandar a equipe no próximo sábado. Precisando encerrar a sequência de duas derrotas consecutivas, o Náutico recebe o Bahia na Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, pela 24ª rodada da Série B.

Em campo, Givanildo terá que provar o apelido de “Rei do Acesso”, já que tem seis ascensões no currículo, cinco delas da segunda divisão para a elite, com América-MG (1997 e 2015), Paysandu (2001), Santa Cruz (2005) e Sport (2006).

O último clube do treinador foi justamente o América-MG, time que amarga a lanterna do Brasileirão e de onde foi demitido em junho. Ele chegou a ser especulado em outras equipes desde então, mas acabou só agora voltando a ficar empregado. Agora no Náutico, terá que reverter um quadro de excesso de jogadores lesionados e melhorar o sistema defensivo, que já sofreu 30 gols em 23 jogos.