O lateral-direito Daniel Alves perdeu a posição de titular na seleção brasileira, mas nem por isso abaixou a cabeça. O jogador garante que tem uma concorrência saudável com Maicon, que não teve muito brilho contra a Colômbia, na última sexta-feira, no Castelão, e deixa uma indefinição no setor para a partida diante da Alemanha, na semifinal da Copa do Mundo, nesta terça, no Mineirão. “Aqui não tem vaidade, quem tiver de jogar vai fazer o seu melhor”, afirma Daniel.

Ele fez questão de abraçar Maicon ao final da partida, após a vitória suada sobre a Colômbia na qual Neymar saiu machucado. “Ele é nossa bandeira, tomara que se recupere logo”, diz o lateral, lembrando que é muito difícil ficar fora de uma partida. “No banco, eu sofri muito vendo a equipe em campo. Mas é preciso respeitar os companheiros que estão jogando e pensar no grupo em primeiro lugar”, diz.

Daniel vinha sendo muito criticado nas quatro primeiras partidas do Mundial, principalmente por ser um jogador que tem algumas falhas na defesa. No ataque, ele apoia bem, mas atrás é seu ponto fraco. Para tentar melhorar o setor, o técnico Felipão optou por Maicon. Mas isso não abalou a confiança de Daniel. “A gente sempre conversa, se abraça e deseja sorte um para o outro, independente de quem joga. Está claro que lutamos pelos mesmos objetivos”, garante.

Daniel acredita que essa concorrência é saudável para o grupo e vê o Brasil em condições de chegar mais longe no Mundial. Se passar pela Alemanha na semifinal, o time terá pela frente apenas a decisão no Maracanã. “O sonho está muito próximo de ser realizado. Esperamos que nossa equipe possa superar a Alemanha, que tem um meio de campo e um ataque de velocidade, e no final, se alcançarmos nosso objetivo, a foto vai ficar linda comigo e com o Maicon juntos”, conclui.