No distante norte da Venezuela, o São Paulo tenta nesta quarta-feira, às 19h30, contra o Trujillanos, a primeira vitória na fase de grupos da Copa Libertadores. O time tricolor precisa ganhar em Valera para arrancar no torneio e sair da incômoda situação de ter um ponto em duas rodadas após ter enfrentado o The Strongest e o River Plate.

A equipe viajou mais de 24 horas para chegar ao local da partida, em três trechos aéreos, incluindo uma passagem pelo Panamá. Sem tempo para treinar, o São Paulo fez apenas um reconhecimento de gramado na noite desta terça-feira e confia na formação que na última semana arrancou empate com o River Plate, em Buenos Aires, e ganhou descanso no último domingo.

O plano da equipe é conseguir ganhar os confrontos contra o Trujillanos, adversário das duas próximas rodadas. O encontro em São Paulo será no começo de abril. Os venezuelanos perderam as duas partidas e são teoricamente o rival mais fácil da chave. Na estreia, por exemplo, foram goleados em casa por 4 a 0 pelo River Plate.

O São Paulo aposta nessa fragilidade para começar a reagir. A má fase do time exige uma resposta rápida para evitar nova crise, como a vivida depois da derrota para o The Strongest em casa por 1 a 0, com protesto da torcida e problemas internos causados por críticas no Twitter feito por um assessor de gabinete da presidência do clube.

O técnico Edgardo Bauza sabe que para evitar o vexame da eliminação precoce na fase de grupos, o que não ocorre desde 1987, terá de melhorar o setor ofensivo da equipe. Há três jogos os atacantes não marcam gols e o time não vence, retrospecto que precisar ser melhorado sem Calleri, suspenso, e Michel Bastos, que tem lesão na coxa direita e nem viajou.

A missão de fazer gols será de Alan Kardec, que ainda não marcou nesta temporada. Outra esperança é na boa fase de Paulo Henrique Ganso, artilheiro da equipe no ano, com quatro gols. O zagueiro uruguaio Diego Lugano é dúvida pelas suas condições física e pode ser substituído por Rodrigo Caio.