Prestes a reencontrar o São Paulo, o técnico Ney Franco disse nesta sexta-feira que não guarda mágoas do ex-time, do qual saiu de forma conturbada, com direito a troca de farpas com o goleiro Rogério Ceni, maior líder da equipe paulista. Ney Franco comanda atualmente o Vitória, adversário do São Paulo, neste sábado, no Morumbi.

“Não tenho motivo nenhum para ir ao jogo com sentimento de revanche ou de vingança até porque tenho muitos amigos na parte diretiva do São Paulo, alguns funcionários e entre os jogadores também. Encaro como mais um jogo neste Brasileiro”, declarou o treinador, na véspera da partida válida pela 26ª rodada do Brasileirão.

Ney Franco garantiu que está focado somente no duelo dentro de campo e foi diplomático até com a fase ruim do seu ex-time. “Falo aos jogadores que a gente vai enfrentar um adversário muito difícil. A gente sabe que o índice de aproveitamento do São Paulo no Morumbi é alto, não está sendo neste Brasileiro, mas é muito difícil jogar contra o São Paulo lá”.

O treinador, contudo, ressaltou que conhece bem o time rival. “Conheço os pontos fortes e os pontos fracos do São Paulo, que precisamos explorar para vencer o jogo”, disse Ney Franco, que está invicto há sete partidas no comando do Vitória. “Traçamos um objetivo que é finalizar o segundo turno em primeiro, porque, consequentemente, consegue uma vaga para a Libertadores.

Apesar das críticas recebidas por Ney Franco durante sua passagem pelo São Paulo, o treinador obteve o melhor aproveitamento à frente do time em comparação aos seus dois sucessores, Paulo Autuori e Muricy Ramalho. Em crise, o time são-paulino ocupa agora a 17ª colocação da tabela, dentro da zona de rebaixamento.