Raoni Monteiro assumiu a quarta posição
na classificação geral da temporada.

Com uma apresentação impecável na grande final, o catarinense Neco Padaratz faturou neste domingo o título do primeiro evento com o nível máximo 6 estrelas do World Qualifying Series (WQS). Ele recebeu notas 9,33 e 9,17 em duas ondas seguidas, para registrar a maior pontuação de todo o campeonato: 18,50 pontos de 20 possíveis. Pela vitória, o atual campeão mundial do WQS recebeu US$ 15 mil de prêmio e 2.750 pontos, que o levaram da oitava para a primeira colocação no ranking.

Para completar a festa brasileira em Margaret River, o carioca Raoni Monteiro conquistou o vice-campeonato e garantiu uma dobradinha verde-amarela no alto do pódio do Salomon Masters. O estreante do Brasil na elite mundial do WCT ganhou US$ 8 mil e 2.365 pontos, ao deixar o sul-africano Greg Emslie em terceiro lugar e o australiano Jake Paterson com a quarta colocação, entre os 270 surfistas de 18 países que competiram na última prova da “perna australiana” do Mundial WQS. Agora, as atenções voltam-se para o ASP Fosters World Championship Tour (WCT), com o Rip Curl Pro promovendo a segunda etapa da temporada em Bells Beach. O prazo começa amanhã e vai até o dia 16 em Victoria.

E o excelente resultado de ontem pode dar um novo ânimo para os brasileiros. Em 20 anos de história do Masters de Margaret River, esta foi apenas a segunda vez que um surfista estrangeiro vence o campeonato, que é um dos mais tradicionais da Austrália. Neco Padaratz já havia sido vice-campeão desta prova em 2001 e agora realiza mais um sonho em sua vitoriosa carreira internacional. O título do Salomon Masters foi garantido nos 10 primeiros minutos da bateria final, quando ele pegou duas ondas excelentes e não desperdiçou a chance de confirmar sua primeira vitória na temporada 2004 do Circuito Mundial de Surfe Profissional.

“Esta competição é muito especial para mim. É uma vitória que eu sempre desejei bastante e estou realmente muito feliz”, disse Neco Padaratz, que recuperou o posto de número 1 do ranking em que ele foi campeão mundial no ano passado. “Eu adoro as ondas daqui e tenho trabalhado muito duro para conseguir bons resultados no circuito. Sou como um homem de negócios fazendo o seu trabalho com responsabilidade. Desde 2001 eu queria este título e persegui o sonho até conseguir realizá-lo agora, numa semana com altas ondas aqui em Margaret River”, falou Neco.

Dobradinha

E o seu sonho foi realizado em grande estilo, pois Margaret River apresentou todo o seu potencial, com o Salomon Masters 2004 começando em ondas gigantescas de mais de 5 metros de altura e durante toda a semana as séries não baixaram dos 2 metros de altura. Só ontem que um forte vento prejudicou um pouco a formação das ondas, mas não impediu que os surfistas dessem um show em cada bateria. Nos últimos segundos da grande final, o carioca Raoni Monteiro conseguiu uma nota 6,33 para garantir o vice-campeonato e uma dobradinha verde-amarela no alto do pódio. A última vez que isso tinha acontecido foi com ele mesmo no ano passado, quando venceu o 6 estrelas do Japão e o potiguar Marcelo Nunes ficou em segundo lugar.

Nunes chegou em Margaret River na liderança do ranking, mas foi barrado nas oitavas-de-final e acabou ultrapassado pelo defensor do título mundial Neco Padaratz e pelo sul-africano Greg Emslie. Ele agora aparece em terceiro lugar e Raoni Monteiro assumiu a quarta posição na classificação geral da temporada. Além deles, também fazem parte da nova lista dos 15 surfistas que o WQS indica para completar a elite mundial do WCT o paulistano Renan Rocha em 11.º lugar, os cariocas Yuri Sodré e Marcelo Trekinho na 13.ª e 14.ª posições, respectivamente, e o paranaense Jihad Kohdr na 15.ª.