Os organizadores da Copa do Mundo levaram nesta quinta-feira a taça da competição a Nelson Mandela, seis anos depois dele ser fotografado com o troféu no dia em que a África do Sul foi escolhida para sediar o Mundial em 2010. O ex-presidente sul-africano, de 91 anos, se encontrou com Jerome Valcke, secretário-geral da Fifa, e Danny Jordaan, chefe do comitê organizador local, que levaram o troféu de 18 quilates até o prédio da Fundação Nelson Mandela em Johannesburgo.

Valcke disse que Mandela foi um dos arquitetos da Copa do Mundo de 2010. “Para nós, não havia maneira do troféu chegar ao país e não ser levado primeiro para Mandela”. O troféu da Copa do Mundo começa uma turnê nacional na África do Sul na sexta-feira, a partir da Cidade do Cabo.

Jordaan disse que foi “um momento emocionante e alegre” trazer o troféu de volta para Mandela, que é carinhosamente conhecido como “Madiba” pelos sul-africanos, um título tradicional adotado pela membros de seu clã.

“Foi tão maravilhoso ver Madiba, em Zurique, no dia que a África do Sul ganhou o direito de sediar a Copa do Mundo de 2010”, disse Jordaan. “Tão feliz com lágrimas de alegria rolando pelo seu rosto. Portanto, é um momento muito emocionante e alegre trazer de volta o troféu para ele, um símbolo do futebol mundial com um símbolo mundial da humanidade”.

Mandela tem feito raras aparições públicas e é incerto se o cidadão mais famoso da África do Sul estará presente na cerimônia de abertura da Copa do Mundo, no Estádio Soccer City, em 11 de junho, embora o presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse esperar que o ex-presidente compareça.

“Nós realmente esperamos que ele experimente junto conosco o momento especial de celebração das conquistas da África do Sul no estádio”, disse Valcke. A programação de Mandela não é revelada antecipadamente, e não foi feita nenhuma promessa de que irá participar de eventos da Copa do Mundo.

Mandela passou a ter forte ligação com o esporte na África do Sul depois que ele apareceu na final do Mundial de Rúgbi de 1995 usando o uniforme da equipe do país. A camisa já tinha sido associado ao racismo e o rúgbi era considerado um esporte apenas de brancos até a ação de Mandela. A África do Sul faturou o título ao derrotar a favorita Nova Zelândia na final. Ele também usava uma camisa da seleção sul-africana de futebol quando o país venceu o Campeonato Africano de Nações em 1996.