Das 67 vitórias de Michael Schumacher na Fórmula 1, a de ontem na Áustria está garantida na galeria das mais extraordinárias. Nem tanto pelo trabalho que ele teve na pista ? ao cabo de 69 voltas, só precisou fazer uma ultrapassagem, sobre Kimi Raikkonen, que terminou em segundo e continua liderando o mundial depois de seis etapas. Mas o alemão da Ferrari mostrou uma frieza inacreditável no seu primeiro pit stop: seu carro pegou fogo. E ele ficou dentro, esperando apagar.

Apagaram. O princípio de incêndio aconteceu por uma falha na mangueira de reabastecimento, que fora usada no carro de Rubens Barrichello duas voltas antes. Sobrou um pouco de gasolina no bocal e em contato com a carenagem quente, o fogo surgiu na lateral direita de seu carro. Os mecânicos trabalharam rápido, é verdade, cercando Schumacher com extintores, um verdadeiro corpo de bombeiros. E ele lá, sem fazer a menor menção de sair do cockpit.

A operação fez com que perdesse 40s755 nos boxes, cerca de 10s além do que seria necessário numa parada menos quente. Mas Michael se recuperou para vencer a prova de forma incontestável. “Hoje eu me sinto um vencedor de verdade.” E fim de papo.