O clássico entre Atlético e Paraná Clube, marcado para este sábado (16), às 16h20, na Arena da Baixada, válido pela semifinal do Campeonato Paranaense, terá um clima totalmente atípico. O barulho e cantos típicos de torcidas organizadas serão ouvidos, mas sem ser identificados.

No final da noite desta quinta (14), a diretoria rubro-negra confirmou que, além da proibição dos materiais das facções do clube, também as torcidas dos times visitantes não poderão entrar na Arena com seus equipamentos. Não serão vistas camisas, bandeiras e bateria da Fanáticos, da Ultras e da paranista Fúria Independente.

Durante a tarde, a tendência era diferente. Funcionários do Atlético diziam que a sanção serviria apenas para as organizadas do clube, decisão que veio devido às ameaças ao atacante Walter e também à emboscada ao ônibus da delegação atleticana no mês passado. A Fúria Independente, do Paraná, recebera uma liminar da Justiça fluminense e pretendia voltar aos estádios justamente na Arena. Ouvida, a Polícia Militar confirmou que não impediria, caso fosse essa a determinação do clube mandante e pela Justiça.

Mas às 23h03 da quinta (14), o Atlético divulgou uma nota oficial em seu site confirmando que nenhuma torcida poderá estar identificada no clássico: “O Clube Atlético Paranaense vem, em atenção a notícias veiculadas na mídia, reiterar e alertar que está proibido o acesso de materiais alusivos às torcidas organizadas do CAP e também dos Clubes visitantes, sem qualquer distinção e por tempo indeterminado. A restrição do acesso é mais um passo em busca da prevenção e da repressão da violência no futebol e retrata o compromisso do Clube com a responsabilidade estatuída no artigo 1º-A da Lei Federal nº. 10.671/2003 (Estatuto do Torcedor)”.

A Fúria conseguiu uma liminar para voltar aos estádios. Mas não será no clássico da Arena. Foto: Arquivo
A Fúria conseguiu uma liminar para voltar aos estádios. Mas não será no clássico da Arena. Foto: Arquivo

A diretoria tomou a decisão depois de uma forte campanha de torcedores nas redes sociais. Com a possibilidade de apenas a Fúria poder entrar, os atleticanos pediam que a bateria da organizada rubro-negra fosse liberada – ou que, na pior hipótese, houvesse a isonomia na decisão. Que foi o que aconteceu. Assim, os torcedores podem entrar, mas sem qualquer identificação de Fanáticos, Ultras e Fúria.

“Vitória”

Na quarta-feira, na vitória do Atlético por 1×0 sobre o Brasil de Pelotas, pela Copa do Brasil, os torcedores optaram por protestar do lado de fora da Arena, deixando o setor destinado a eles quase que vazio. A medida adotada pelo Atlético é por tempo indeterminado, e se depender das declarações do presidente do conselho administrativo do clube, Mario Celso Petraglia, vai demorar para a Os Fanáticos voltarem.

“Nossa alegria, da Diretoria, foi muito maior ontem vivenciando o apoio da torcida contra os palavrões da tof do que a vitória! Noite Feliz!”, postou ele, ontem, no Twitter. “Vitórias em campo temos todos os momentos. Fora, como a de ontem, do bem contra o mal, nem sempre, são muito maiores e melhores”, completou Petraglia, em resposta a um dos torcedores.

Resta saber como se portarão as duas torcidas neste sábado. O que é certo é que, dentro do estádio, a briga para ver quem fará mais barulho para apoiar seu time será grande.