Mas uma vez, o goleiro Neto, do Atlético apareceu na lista de convocados de Mano Menezes, desta vez para o amistoso da Seleção Brasileira com a Argentina, dia 17 de novembro, em Doha, no Catar.

Embora o técnico tivesse sinalizado que preservaria jogadores de times ainda com ambições no Brasileiro, decidiu repetir o trio de goleiros do último amistoso contra o Ucrânia – já que tanto Neto quanto Jefferson (Botafogo) e Victor (Grêmio) são de equipes que disputam vagas na Libertadores.

A nova chamada dá ainda mais força para que o jovem goleiro sonhe com a Copa de 2014 e Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Ele conversou com o Paraná Online sobre mais essa convocação.

Paraná Online: Você manteve boa fase no Atlético, após a primeira convocação. O que acha que fez para ser chamado novamente?

Neto: Mantive o que vinha fazendo no clube. E na oportunidade que tive lá de treinar, mostrei o mesmo que vinha fazendo aqui.

Paraná Online: Como você recebeu a notícia da nova convocação?

Neto:  Chegamos (de viagem) de manhã, estava morrendo sono, mas com a TV ligada. É muito bom ver seu nome lá, dá um friozinho na barriga. Fiquei contando a ordem alfabética para ver se o N não tinha passado. Estava sozinho e liguei primeiro para meu pai, em seguida todo mundo foi ligando.

Paraná Online:
Você esperava uma segunda convocação tão rápida?

Neto: Não imaginava nem que a primeira viria tão rápido. A partir do momento que cheguei (na Seleção) a segunda foi consequência do meu trabalho. Não posso deixar cair agora.

Paraná Online:
Quais os projetos a partir de agora?

Neto: Após a primeira convocação, o objetivo se tornou estar na Copa que será no Brasil. Será muito difícil, porque temos goleiros muito bons.

Paraná Online: A Olimpíada de 2012 está no projeto também?

Neto: Para isso tem que ser feito um trabalho muito forte. Mas quero ter os pés no chão para que objetivos e sonhos não se percam.

Paraná Online: Você acredita que a renovação da Seleção com Mano Menezes o ajudou a aparecer na lista?

Neto: Antes do Mano, era mais difícil. Mas hoje essa safra está com idade avançada para pensar na Copa de 2014. Essa renovação é boa para o futebol brasileiro porque aparecem jogadores muitas vezes esquecidos.