Oliver Neuville, atacante de 29 anos, terá pela frente um amigo, com quem treina diariamente na Alemanha. Trata-se do zagueiro Lúcio, da seleção brasileira. Ambos atuam juntos no Bayer Leverkusen e vão apostar tudo nessa decisão de domingo. É o jogo de suas vidas, uma oportunidade que pode ser única. O alemão diz que o zagueiro do Brasil é um dos melhores do mundo, mas espera que desta vez seja derrotado.

?Somos colegas, nos conhecemos bem, mas espero muito ganhar dele.? Neuville é um dos mais experientes do time, apesar de estar disputando sua primeira Copa do Mundo. Embora a equipe tenha vencido 5 dos 6 jogos, o ?meio alemão? – nasceu em Locarno, na Suíça, mas naturalizou-se alemão – ainda não despontou como se esperava. Mesmo assim, vem garantindo a posição entre os 11 titulares. ?O ataque ainda não brilhou, mas a defesa está muito bem.?  A defesa é, em sua opinião, o ponto forte da Alemanha e pode desequilibrar em favor da seleção européia.

O atleta do Bayer acha que Rivaldo, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho terão poucas chances caso os zagueiros de seu time estejam inspirados como nas últimas semanas. ?Se a defesa jogar mais ou menos como nos últimos jogos, o Brasil vai ter sérios problemas.? 

O baixinho, de 1,71m, é um dos queridos do técnico Rudi Voeller. Neuville fala espanhol, italiano, francês, mas tem dificuldade em pronunciar algumas palavras em alemão, porque seus pais costumavam conversar em italiano em casa. Isso deixa Voeller furioso. Quando o ouve falando um alemão ?arrastado?, trata de pedir que mude para o italiano.