Em mais uma atuação de gala de Neymar, que fez dois golaços e participou da jogada de outros quatro, o Santos goleou a Ponte Preta por 6 a 1, neste sábado, na Arena Barueri, e comemorou a sua quinta vitória consecutiva neste Campeonato Paulista. O resultado levou o time santista aos 21 pontos e fez a equipe assumir a terceira colocação provisória da competição – o Palmeiras tem a mesma pontuação e neste domingo trava clássico com o São Paulo.

Com os dois gols marcados neste sábado, Neymar chegou aos seis ao total neste Paulistão e voltou a mostrar que é a grande arma santista na briga pelo tricampeonato estadual. Além de ter balançado as redes em duas oportunidades, o atacante deu show com belos dribles, passes precisos e até uma tentativa de gol de bicicleta.

Já a Ponte Preta, que amargou a maior goleada sofrida por um time neste Paulistão até aqui, estacionou na sétima posição, com 15 pontos, e viu sua situação se complicar já para a próxima rodada, pois teve o lateral Guilherme e os meias Cicinho e Renato Cajá serem expulsos e figurarem como desfalques certos para o duelo da próxima quinta-feira, contra o Botafogo, em Ribeirão Preto. A equipe de Muricy Ramalho, diferentemente disso, ganhou ainda mais confiança para encarar o Guarani, um dia antes, em Campinas, pela 11.ª rodada da competição estadual.

O JOGO – O Santos iniciou o duelo deste sábado mostrando que daria as cartas em Barueri. Inspirado, Neymar começou a mostrar o seu cartão de visitas aos adversários logo aos 11 minutos, quando fez linda jogada pelo meio e deixou Ibson na cara do gol. O meia, porém, desperdiçou grande chance ao parar em defesa de Lauro.

A Ponte, por sua vez, respondeu no minuto seguinte com Leandrão, que perdeu ótima oportunidade de empatar após receber cruzamento da direita. O mesmo fez Borges aos 17 minutos. Após boa tabela com Ganso, Neymar tocou para Ibson e a zaga cortou parcialmente. Na sobra, o atacante finalizou forte, mas Lauro defendeu de novo.

Mas, o que parecia difícil, Neymar resolveu começar a simplificar a partir dos 27 minutos. Depois de receber pelo meio, o jogador invadiu em velocidade e arriscou forte chute de fora da área. E foi muito feliz ao acertar o canto direito baixo de Lauro, que nada pôde fazer: 1 a 0.

E Neymar deu continuidade ao seu show aos 34 minutos. Depois de aplicar o “o chute no vácuo” e ensaiar o drible para cima de dois adversários, tocou com precisão para Borges. O atacante passou por Gian e finalizou. A zaga cortou parcialmente e a bola sobrou para Ganso, que aproveitou a sobra e tocou para as redes com Lauro já batido no lance.

Borges, por sua vez, voltou a perder grande chance dois minutos depois, após novo passe açucarado de Neymar, que depois quase marcou aos 39 ao invadir pelo meio e chutar com perigo de fora da área por cima do gol de Lauro.

Na etapa final, a Ponte chegou a ensaiar uma reação ao descontar o placar logo aos 6 minutos, quando Renato Cajá deu lindo passe para Uendel, que recebeu pelo lado esquerdo da área e chutou forte no canto baixo de Rafael.

A bola, porém, parecia imantada ao pé de Neymar, que continuava infernal e monopolizada as ações ofensivas santistas. Após quase marcar aos 7 minutos, ele participou do terceiro gol do seu time logo aos 10. Em lance curioso, o atacante bateu escanteio da direita e Borges cabeceou. Lauro deu rebote e, na ânsia de afastar, Guilherme chutou forte em cima do companheiro Ferron e viu a bola rebater para dentro do próprio gol.

EXPULSÕES E MASSACRE – E a enxurrada de gols santistas começou a sair rapidamente. Já aos 13, Neymar bateu falta da esquerda e Edu Dracena, de costas para o gol, desviou de leve de cabeça para as redes: 4 a 1.

A missão de reagir parecia dura para a Ponte e começou a ficar impossível aos 16 minutos, com Cicinho, que já tinha cartão amarelo, sendo expulso após cometer falta dura em Neymar. E o atacante cavou mais uma expulsão logo aos 24 minutos, quando Guilherme cometeu o mesmo erro de seu companheiro ao chegar forte no santista quando também já tinha amarelo.

Antes mesmo desta expulsão, o Santos já havia ampliado o placar para 5 a 1 em uma autêntica repetição do quarto gol. Neymar bateu falta, desta vez pela direita, e mais uma vez encontrou Edu Dracena, que testou para o gol aos 22 minutos.

Com dois a mais em campo, o Santos era absoluto e sufocava o time ponte-pretano, que viu Lauro salvar o quinto gol em chute de Ganso aos 32 minutos. No minuto seguinte, porém, não teve perdão. Juan tocou para Ganso, que girou e deu para Neymar invadir a área pela esquerda e, com categoria, tocar por cima do goleiro: 6 a 1.

Descontrolada em campo, a Ponte ainda ficaria com três jogadores a menos em campo após expulsão de Renato Cajá, que cometeu falta dura no meio-campo e levou o vermelho. Elano, que entrou no lugar de Ibson no segundo tempo, ainda acertou a trave aos 40 minutos, mas a equipe campineira já estava liquidada.

Neymar, além do show particular, ainda foi malandro ao forçar o terceiro cartão amarelo e se garantir no clássico do próximo dia 4 de março, contra o Corinthians, na Vila Belmiro. Antes disso, ele servirá a seleção brasileira no amistoso da próxima terça, contra a Bósnia-Herzegovina, na Suíça. Pelo fato de participar do duelo, ele não poderia estar em campo pelo Santos de qualquer forma na próxima quarta, diante do Guarani. Também convocado, o goleiro Rafael é outro que é desfalque certo para este confronto.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 6 X 1 PONTE PRETA

SANTOS – Rafael; Fucile (Crystian); Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique (Alan Kardec), Arouca, Ibson (Elano) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

PONTE PRETA – Lauro; Guilherme, Ferron, Gian e Uendel; Xaves (Willian Magrão), João Paulo, Cicinho e Renato Cajá; Rodrigo Pimpão (Enrico) e Leandrão (Gerson). Técnico: Gilson Kleina.

GOLS – Neymar, aos 17, e Paulo Henrique Ganso, aos 34 minutos do primeiro tempo; Uendel, aos 6, Ferron (contra), aos 10, Edu Dracena, aos 13 e aos 22, e Neymar, aos 32 minutos do segundo.

JUIZ – Marcelo Rogério.

CARTÕES AMARELOS: Durval, Xaves e Neymar.

CARTÕES VERMELHOS: Guilherme, Cicinho e Renato Cajá.

PÚBLICO: 10.252 pagantes.

RENDA: R$ 221.010,00.

LOCAL – Arena Barueri, em Barueri.