Chegaram ao fim na noite deste domingo as más fases de Santos e de Neymar. O craque buscou o jogo e foi recompensado com um gol de certa sorte (ele escorregou na hora do chute), abrindo o placar para a vitória santista por 2 a 0 sobre o Oeste, em Bauru, onde o time de Itápolis resolveu mandar este jogo da 16.ª rodada do Campeonato Paulista.

O Santos voltou a vencer após dois empates, mas segue no terceiro lugar, com 32 pontos, a dois da Ponte Preta e a três do São Paulo. Neymar encerrou um jejum de seis jogos sem balançar as redes e comemorou o feito homenageando Usain Bolt, que está no Brasil, competiu nesta manhã no Rio, e havia dito que queria se encontrar com o jogador.

Depois de ficar semanas ouvindo críticas de que se joga demais, Neymar tentou outra postura. Aos 39 minutos do segundo tempo, quando o Santos vencia por 1 a 0, carregou a bola pelo meio, foi puxado, levou o tranco, mas não caiu. Ficou de pé e mandou em cima do goleiro. Se tivesse sofrido a falta, o Oeste não teria empatado no contra-ataque seguinte. Mas logo depois Cícero garantiu a vitória.

A 17.ª rodada será antecipada para o Santos, que joga na quinta-feira, contra o São Caetano, no Pacaembu. Tudo para viajar na semana que vem até o Piauí, onde joga pela Copa do Brasil. Já o Oeste atua fora de casa, sábado, visitando o Linense. A equipe está no 11.º lugar, com 19 pontos, a cinco do G8.

O JOGO – O Santos entrou em campo no Alfredo de Castilho sem Arouca, vetado pelo departamento médico depois de uma lesão sentida no sábado. Alan Santos, campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior em janeiro, ganhou mais uma chance.

De resto, força máxima, o que indicava que o favoritismo era todo santista, apesar da má fase da equipe. Logo aos 5 minutos, o garoto Giva, outro promovido do time campeão da Copinha, quase marcou em linda joga de Cícero que devolveu de calcanhar. O atacante pegou de primeira, chutou bonito, mas Fernando Leal salvou.

Quatro minutos depois, outra chance de Giva, após cruzamento de Neymar. Mas Antônio Carlos chegou para cabecear junto e evitar o primeiro gol. O domínio de território era todo santista, mas as chances não mais levavam perigo a Fernando Leal. Enquanto isso, Rafael era um mero espectador.

Bruno Peres saiu no intervalo, sentindo lesão, e Muricy resolveu arriscar, com Felipe Anderson improvisado na lateral. Apesar da tentativa do treinador, o jogo não melhorou muito. Logo aos 5, o Santos até criou boa chance, de Neymar para Guilherme Santos. Mas o chute do lateral parou em grande defesa de Fernando Leal.

A partida seguiu sonolenta até que Neymar abriu o placar num lance de sorte, aos 21. Ele recebeu na entrada da área, escorregou na hora do chute, mas conseguiu colocar no ângulo de Fernando Leal. O gol encerrou o jejum do atacante e recompensou uma atuação que, se passou longe de ser brilhante, pelo menos foi de muita vontade.

O jogo novamente passou por um tempo de morosidade até que Neymar puxou um contra-ataque, se livrou da falta, mas demorou a bater e chutou em cima de Fernando Leal. Na jogada seguinte, Rafael não cortou um cruzamento vindo da direita e Gilmar marcou na sobra.

O lance poderia transformar Neymar em vilão, mas na jogada seguinte seus companheiros o livraram do problema. Montillo bateu escanteio pela esquerda e Cícero pegou em cheio na bola para fazer 2 a 1.

FICHA TÉCNICA:

OESTE 1 X 2 SANTOS

OESTE – Fernando Leal; Antônio Carlos (Marcinho Beija-Flor), Dezinho e Ligger; Dedê, Leandro Teixeira (Gilmar), Wanderson, Hudson e Fernandes; Serginho e Lelê (Jefferson). Técnico – Roberto Cavalo.

SANTOS – Rafael; Bruno Peres (Felipe Anderson), Neto, Durval e Guilherme Santos; Renê Júnior, Alan Santos, Cícero e Montillo (Pato Rodriguez); Neymar e Giva (André). Técnico – Muricy Ramalho.

GOL – Neymar, aos 21, Gilmar, aos 40, e Cícero, aos 41 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.

CARTÕES AMARELOS – Fernando Leal, Hudson Fernandes, Lelê, Antônio Carlos e Renê Júnior.

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio Alfredo Castilho, em Bauru (SP).