O placar marcava 6 a 1, mas nem Nigéria e nem Taiti saíram insatisfeitos de campo nesta segunda-feira, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Os nigerianos confirmaram com facilidade o favoritismo contra a “zebra” da Copa das Confederações, enquanto que os taitianos festejaram o gol histórico anotado logo em seu estreia em uma competição deste nível.

Jonathan Tehau, autor do gol, saiu de campo como o herói do time, apesar da derrota. Não por acaso. A seleção do Taiti conta com apenas um profissional no elenco e chegou ao Brasil sem qualquer pretensão. O próprio técnico Eddy Etaeta admitira que seu objetivo era sofrer poucos gols na Copa das Confederações e, quem sabe, anotar um gol de honra. Com o objetivo cumprido, o Taiti agora aguarda a poderosa seleção da Espanha para o duelo desta quinta, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

Aos nigerianos, valeu o saldo de gols que poderá ser decisivo na disputa por uma vaga na semifinal. O time africano deve brigar pela segunda colocação do Grupo B contra o Uruguai, justamente seu próximo adversário, nesta quinta, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Sem enfrentar resistência do rival, a Nigéria não acusou cansaço nesta segunda, mesmo depois de desembarcar no Brasil somente na madrugada de domingo. Os africanos abriram 3 a 0 só contando com erros do rival e com a sorte no primeiro tempo. Na segunda etapa, não se abalaram com o gol sofrido e marcaram mais três, garantindo a maior vitória da Nigéria em competições organizadas pela Fifa.

O JOGO – A Nigéria não precisou fazer muito esforço para se impor na partida desta segunda. Em apenas nove minutos, já vencia por 2 a 0. Logo aos 4, Echiejile aproveitou desvio do árbitro para acertar chute de fora da área que rebateu em dois taitianos antes de enganar o goleiro Samin.

A Nigéria abrira o placar justamente quando a torcida brasileira, que adotou o Taiti como segundo time, ensaiava gritos de “olé” a cada passe modesto da seleção da Oceania. Os torcedores não desanimaram nem quando a Nigéria marcou o segundo gol, cinco minutos depois. A defesa taitiana bateu cabeça na saída de bola e Oduamadi entrou na área com facilidade, se esquivou de dois marcadores e mandou para as redes.

A Nigéria jogava de forma despretensiosa, quase em ritmo de treino. Chegava ao ataque sem elaborar jogadas, somente a partir das fragilidades do meio de campo e da defesa do rival. Aos 25 minutos, foi a vez do goleiro Samin dar uma ajuda aos nigerianos, ao soltar a bola após defender finalização de Musa. O mesmo Oduamadi só teve o trabalho de completar para o gol.

Diante da porosa retranca taitiana, a Nigéria só não empilhou mais gols antes do intervalo por pura incompetência do seu ataque. As chances eram desperdiçadas em série. Uma mais incrível que a outra.

O time africano também era displicente na defesa. E o Taiti teve oportunidade para marcar seu tão sonhado gol na competição. Aos 33 minutos, Chong Hue avançou pela esquerda, invadiu a área e bateu rasteiro. Omeruoe se antecipou e evitou o gol de Alvin Tehau. Aos 42, Chong Hue quase anotou de cabeça.

O almejado gol histórico veio logo no início da segunda etapa. Em cobrança de escanteio na área, Jonathan Tehau subiu mais alto que a zaga na segunda trave e surpreendeu o goleiro Enyeama. Torcida, jogadores e banco de reservas do Taiti comemoraram juntos o feito da “zebra” do torneio.

O gol, porém, não mudou a história do jogo. O mesmo Jonathan Tehau marcou contra as próprias redes aos 22 minutos, ao tentar desviar cruzamento da esquerda. Aos 31, Oduamadi aumentou a contagem ao anotar seu terceiro gol na partida, completando jogada de Ideye e se isolando na artilharia da competição. A goleada foi selada aos 34 com outro gol de Echiejile, ao completar cruzamento rasteiro da direita.

FICHA TÉCNICA

TAITI 1 x 6 NIGÉRIA

TAITI – Samin; Ludivion, Vallar (Faatiarau) e Jonathan Tehau; Simon (Lemairere), Caroine, Bourebare, Aitamai; Chong Hue, Alvin Tehau e Vahirua (Atani). Técnico: Eddy Etaeta.

NIGÉRIA – Enyeama; Ambrose, Oboabona, Omeruo (Ideye) e Echiejile; Ogude, Mba (John Ogu) e Mikel; Musa, Ujah (Egwuekwe) e Oduamadi. Técnico: Stephen Keshi.

GOLS – Echiejile, aos 4, e Oduamadi, aos 9 e aos 25 minutos do primeiro tempo; Jonathan Tehau, aos 9 e aos 22 (contra), Oduamadi, aos 31, e Echiejile, aos 34 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO – Omeruo (Nigéria).

ÁRBITRO – Joel Aguilar (Fifa/El Salvador).

RENDA – Não disponível.

PÚBLICO – 20.187 pagantes.

LOCAL – Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).