O Santos vai tentar a quarta vitória consecutiva pelo Campeonato Brasileiro, neste sábado, às 18h30, contra o Sport, no estádio da Ilha do Retiro, no Recife, pela 27.ª rodada. O time que há poucas rodadas via o G4 à distância, agora confia na boa sequência para alimentar o sonho de continuar na perseguição ao líder Palmeiras.

O time do técnico Dorival Júnior vive bom momento e confia na tabela que lhe resta no Brasileirão. São seis pontos de diferença para o Palmeiras (51 a 45), mas com um confronto direto nas próximas rodadas, na Vila Belmiro. A equipe santista ainda terá a possibilidade de enfrentar o Flamengo, atual segundo colocado na tabela de classificação.

O elenco está fora de Santos desde o começo da semana. A equipe enfrentou o Vasco, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, no Rio, na última quarta-feira, e continuou na cidade até embarcar para o Recife, onde chegou nesta sexta.

A diretoria montou uma programação diferente para aguardar o julgamento do efeito suspensivo pedido ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Denunciado por críticas à arbitragem no jogo contra o Internacional, o zagueiro Gustavo Henrique viajou sem saber se poderá atuar. Por isso, o treinador levou um zagueiro a mais, por precaução. O escolhido foi Lucas Veríssimo.

Para o clube, a partida com o Sport tem importância por antecipar uma série de duas partidas na Vila Belmiro pelo Brasileirão (Atlético Paranaense e Fluminense), seguido pelo clássico contra o São Paulo no estádio do Pacaembu, na capital paulista.

Exceto pela lesão do atacante Ricardo Oliveira, o time deve jogar com o que tem de melhor, mesmo com compromisso pelas quartas de final da Copa do Brasil contra o Internacional, no meio de semana, em Santos. A ausência do artilheiro veterano será recompensada pelo colombiano Jonathan Copete, autor de gols nas duas últimas partidas.

Dorival Júnior tem vivido nos últimos jogos a indecisão de arriscar a formação titular nos compromissos das duas competições. No ano passado, o Santos viveu situação semelhante, até ser obrigado a poupar por desgaste os principais atletas na reta final do Brasileirão. A decisão ocasionou duas derrotas e saída do G4 a uma rodada do fim.