O tumultuado Ba-Vi do último domingo parece ainda não ter acabado, pelo menos fora de campo. Dois dias depois do jogo marcado por agressões, confusões e por ter sido encerrado antes dos 90 minutos previstos, dois jogadores do Vitória, Bryan e Kanu, prestaram queixa contra três atletas do Bahia: Edson, Anderson e Rodrigo Becão.

Bryan e Kanu registraram boletim de ocorrência por lesão corporal contra os três rivais. As agressões teriam acontecido no momento da confusão após o gol de Vinícius, em que sete jogadores – três do Vitória e quatro do Bahia – foram expulsos. Entre os acusados pela dupla rubro-negra, Edson e Rodrigo Becão receberam cartões vermelhos.

A queixa de Bryan e Kanu, aliás, aconteceu depois de Vinícius também registrar boletim de ocorrência contra jogadores do Vitória. O meia do Bahia acusou Fernando Miguel, Kanu, Yago e Denilson por agressão, além de Neilton, por ameaça. Ele inclusive realizou exame de corpo de delito.

Quando o placar apontava 1 a 0 para o Vitória, no último domingo, Vinícius converteu cobrança de pênalti e, na comemoração, realizou uma dança em frente à torcida rival, considerada provocativa pelos atletas rubro-negros.

Imediatamente, o goleiro Fernando Miguel interpelou Vinícius e o zagueiro Kanu tomou a mesma decisão, mas agredindo o rival com socos. Rhayner e Denilson foram pelo mesmo caminho e a confusão se instaurou. Como resultado, o árbitro Jailson Macedo Freitas expulsou três atletas rubro-negros e quatro do Bahia, mas apenas dois que estavam em campo: Vinicius e Lucas Fonseca.

Poucos minutos depois, o Vitória também teve Uillian Correia expulso após matar contra-ataque do adversário. Com apenas sete jogadores em campo, o jovem Bruno Bispo, de 21 anos, forçou o vermelho para encerrar a partida prematuramente, o que aconteceu aos 32 minutos do segundo tempo. Na última segunda, a Federação Bahiana de Futebol (FBF) oficializou o triunfo do Bahia por 3 a 0.