A movimentada madrugada de sexta-feira da semana passada, em Presidente Prudente, foi decisiva para a saída de Antônio Carlos do Corinthians. O ex-diretor de futebol pediu demissão nesta terça, e disse que a noitada com o atacante Ronaldo na cidade do interior paulista contribuiu para que ele deixasse o cargo, embora não tenha sido o único motivo.

“O que aconteceu em Presidente Prudente é um dos motivos, não o principal. Eu tive algumas divergências em cima do projeto que temos para 2010, algumas ideias não bateram”, afirmou o ex-diretor.

Logo depois de citar as divergências como principal motivo de sua saída, Antônio Carlos voltou a falar da polêmica noitada. Na ocasião, Ronaldo aproveitou uma folga para ir a uma boate e voltou ao hotel às 5h30 da manhã, seis horas depois do prazo estipulado para a representação.

Segundo relatos de testemunhas, Antônio Carlos teria sido um dos acompanhantes do atacante à casa noturna naquela noite. O dirigente negou a versão, mas nesta terça admitiu a influência do episódio em sua decisão.

“Por tudo o que aconteceu na quinta-feira, eu achei melhor deixar o cargo, para o bem do Corinthians. Foi pelo bem do clube, pensando no Corinthians e pensando no presidente. O presidente vem sofrendo pressão para que eu deixasse o clube, e achei melhor repensar o que foi feito. Fiz isso pensando também na minha carreira no futuro”, disse o ex-zagueiro.