Os jogadores do Paraná Clube só tiveram na sexta-feira (7) o primeiro contato com o novo gramado da Vila Capanema. Para o técnico Dado Cavalcanti, atuar em um piso sem irregularidades e com grama de boa qualidade é motivo para ser comemorado. “É um ponto altamente positivo. Jogar em casa, em um bom gramado e em um campo grande é muito importante”, analisou. O campo do Durival Britto tem dimensões máximas (110mx70m), o que dificulta posturas defensivas.

“Mesmo que tenhamos adversários fechados, num campo como este, sempre sobram espaços”, ponderou Dado. “Mas, é fundamental que a gente saiba usar essas armas. Não adianta ter um bom gramado se não colocarmos em prática um bom futebol”. O Paraná entra em campo, nas palavras de seu treinador, com a obrigação da vitória.

O zagueiro Anderson concorda e entende que esse tipo de necessidade não pode afetar o emocional do grupo. “Nesses momentos é que você vê quem é quem. Pressão faz parte da vida e só os vencedores sabem passar por cima das dificuldades”. Anderson entende que mesmo nas recentes derrotas, o Paraná fez um jogo igual aos adversários, mas sem conseguir impor um volume ofensivo. “Levamos gols em lances de bola parada e isso precisa ser corrigido, também”.