A Polícia Civil de Campinas (SP) deflagrou nesta segunda-feira a Operação Cartão Vermelho, que prendeu seis integrantes de duas torcidas organizadas da cidade. Eles são suspeitos de terem participado de uma briga em julho na avenida Anchieta, na frente do prédio da Prefeitura Municipal. A confusão envolveu cerca de 50 membros da Torcida Jovem da Vila União, da Ponte Preta, e de uma filial da Independente do São Paulo, no bairro Jardim Aurélia.

Na ocasião, um torcedor do time campineiro foi espancado, com paus e pedras, inclusive, e câmeras flagraram a agressão. A operação policial cumpriu todos os seis mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de Campinas, Hortolândia e Amparo.

Segundo a Polícia Civil, o inquérito que foi instaurado para investigar o confronto apura os crimes de tentativa de homicídio, associação criminosa e tumulto, tudo enquadrado no artigo do Estatuto do Torcedor. Os investigadores identificaram 13 pessoas que estiverem envolvidos na briga.

O delegado Hamilton Caviolla Filho afirmou que pediu a prisão de todos, mas apenas seis tiveram os mandatos expedidos pela Justiça. Durante a operação, uma arma, vários celulares, barras de ferro e madeira, além de camisas e faixas que identificam a torcida envolvida, foram apreendidos.

A briga entre as duas torcidas aconteceu no dia 19 de julho deste ano, após a partida de futebol do Campeonato Brasileiro Sub-20 que foi realizada no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.