O Operário Ferroviário tem planos ambiciosos para a temporada de 2019. Com o lugar garantido na Série B do ano que vem, o time quer, em primeiro lugar, fazer bonito no Campeonato Paranaense. Em evento realizado na noite de ontem, em Ponta Grossa, o presidente do conselho gestor do Fantasma, Álvaro Góes, garantiu que o time entra na disputa querendo o título, porém o discurso no Operário é trabalhar com muita cautela, evitando gastos que o time não possa bancar.

“O Operário vem forte. A gente vem pra disputar um bicampeonato paranaense. Se não conseguir isso, com certeza queremos uma vaga para a Copa do Brasil”, garantiu o mandatário.

+ Leia mais: Germano Krüger vai ser reformado pro Operário mandar jogos da Série B

E para apostar na continuidade do bom trabalho, uma das estratégias do clube é a manutenção do elenco e da comissão técnica. “O time precisa ter uma base e a gente já vem fazendo isso há um tempo. Temos 24 jogadores que estavam em 2018 e vão continuar. Faz três anos que temos essa base. Nosso técnico foi muito assediado, mas conseguimos mantê-lo e essa será nossa estratégia, contar com o que temos e apenas suprir necessidades pontuais”, detalhou Góes.

+ Também na Tribuna: Paulo André já tá mandando ver como dirigente no Furacão

O técnico Gerson Gusmão lembrou que, mesmo o time estando entre os 40 maiores do Brasil, é necessário cautela para que o clube não gaste mais do que pode. “Em termos de contratações, estamos com o pé no chão. O mais importante foi mantermos o elenco inteiro. Em um primeiro momento teremos duas contratações e no início do ano mais duas e aí sim, dependendo do que acontecer, a gente vai analisar o mercado”, explicou o treinador.

+ Confira: Entenda o porquê do presidente do Coxa estar em risco

O comandante também aponta a necessidade de uma atenção especial às questões estruturais do clube. “Precisamos nos estruturar também fora do campo. O Operário deu um salto e a gente precisa adequar o clube, os departamentos, pra gente crescer num todo não só em termos de resultado, mas na estrutura física e nos departamentos”, afirmou Gusmão.

Com a manutenção dos patrocinadores que já apoiavam o time – Sicredi e Alegra, o presidente sonha alto para a próxima temporada. “Nosso objetivo é em 2020 é estar na Série A do Brasileiro”, finalizou Góes.

Estádio

Em outra frente, o Operário já está investindo na reforma e ampliação do Germano Krüger para se adequar às exigências da CBF para a disputa da Série B no ano que vem. Segundo Góes, a capacidade de público será aumentada para 11.500 pessoas. O estádio terá mais três anéis de degraus no setor de arquibancada Sócio Prata e um novo alinhamento no Sócio Ouro, que diminuirá o espaço entre as cadeiras. O setor Sócio Diamante (coberto) terá 1.500 novos assentos, agora completo por cadeiras. O espaço dos visitantes, por outro lado, será reduzido de 1.500 para 1.150 lugares.

“Também vamos mudar a iluminação do estádio. Vamos passar de 100 lúmen para 900 lúmen, o que vai melhorar muito a visibilidade nos jogos à noite. Esperamos fechar até dia 10 de janeiro e ter tudo pronto para a estreia no Paranaense”, assegurou o dirigente.

A diretoria pretende bancar parte do custo da iluminação, estimado em R$ 1 milhão, com ajuda de doações de sócios. Em contrapartida, quem contribuir com pelo menos R$ 200,00 terá a foto adicionada em uma camisa do projeto “Fantasma Iluminado”, que será utilizada em um dos jogos da próxima temporada.

* A repórter viajou a convite do Sicredi e da Alegra.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!