Com uma ótima campanha em casa, a torcida comparecendo em grande número e com a vantagem de ter levado de Curitiba um empate, o Operário chega na “hora da verdade” precisando apenas de uma vitória simples para chegar à semifinal do Campeonato Paranaense – e estar muito perto da vaga na Série D. Após uma temporada ruim em 2014, o Fantasma se remontou neste ano. O primeiro passo foi a montagem de um grupo de trabalho para auxiliar a diretoria. No estilo dos “Paranistas do Bem”, mas sem criar confusão e trabalhando em silêncio, essa equipe recuperou o estádio Germano Krüger (melhorando inclusive o gramado), trouxe o técnico Itamar Schulle e montou um elenco forte. O resultado está em campo, sendo o melhor time do interior.

Para a partida desta noite, Operário tem um único desfalque por suspensão, o lateral-esquerdo Jhonatan Silva, que dá lugar a Léo Salino. Mas o time do Fantasma pode entrar em campo com outros dois desfalques por contusão. O lateral-direito Danilo Baia e o meia Pedrinho são dúvidas e devem ser examinados antes da partida para definir se tem condições de jogar diante do Paraná. Caso sejam vetados, Itamar Schulle deve escalar Nequinha na lateral e Julinho no meio de campo.