Estamos chegando ao fim de uma longa jornada em 2019. Os jogos decisivos das séries A e B do Campeonato Brasileiro vem aí, muita coisa vai se definir, mas já tem gente pensando em 2020. E olhando para o ano que vem e para a sequência do futebol paranaense, viveremos a partir desta sexta-feira (15) um momento-chave: a luta de Coritiba e Paraná Clube pela volta à primeira divisão. E é preciso olhar, acreditar e torcer – sim, torcer – para que voltemos a ter três times na elite.

A chance de Coxa e Tricolor subirem juntos é real. O Paraná pode fazer companhia ao Coritiba no G4 já nesta rodada – é vencer o Atlético-GO e contar com um tropeço do América-MG diante do Vitória. Com isso, chegaremos ao final da 36ª rodada com a dupla Paratiba entre os quatro primeiros. E dependendo apenas dos próprios esforços dos times para garantir o acesso.

+ Confira a classificação completa da Série B!

(Além disso, é fundamental a permanência do Londrina na Série B. Essa corrente pra frente tem que abraçar o Tubarão e também aplaudir a espetacular participação do Operário.)

É difícil até mensurar a importância de uma situação com essa. Há um bom tempo não temos o Trio de Ferro junto na Série A – desde 2005. Em catorze anos, tivemos vitórias e derrotas, mas o futebol paranaense como um todo perdeu. O Athletico elevou o nome do estado com suas conquistas nacionais e internacionais, mas no todo ficamos para trás de Santa Catarina. Podemos virar esse jogo agora.

Os clubes ganham, mas todo o mercado do futebol ganha junto. Aumentam as verbas de televisão, aumenta a visibilidade, é possível faturar mais com patrocínio e com ingressos, teremos times melhores. Dou um exemplo: no início do ano, um programa de TV em rede nacional mostrou os gols da rodada pelos campeonatos estaduais. Estava lá o jogo do Athletico, mas Coritiba e Paraná não. A explicação? A prioridade era para quem estava na primeira divisão. Então, o país inteiro via os lances das partidas de Avaí e CSA, mas não de Tricolor e Coxa.

+ Os gols mais bonitos do futebol paranaense no podcast De Letra!

Tudo isso se reverte em natural ganho técnico. É óbvio que é preciso ter organização para voltar à Série A e por lá ficar. Mas só se consegue fazer isso subindo.

E neste momento é possível. Pareceu distante em outras partes da Segundona, por conta da irregularidade que cercou o campeonato. Mas agora dá, agora podemos pensar a valer em primeira divisão, em seis clássicos em 2020. É a hora do apoio incondicional, de acreditar e de secar os adversários.

Dia desses, parei no posto de gasolina. O motorista me viu e perguntou: “E aí, seu Cristian? Quem o senhor prefere que suba pra primeira divisão?”. Acho que a resposta tá bem clara.