O desempenho de Carlos Sainz na segunda etapa do Rally Dakar, realizada na cidade peruana de Pisco, continua causando controvérsia. Um dia depois de descontarem o tempo perdido pelo espanhol, que culpou o funcionamento ruim do GPS pelo problema, os organizadores recuaram na sua decisão e recolocaram 21 minutos no tempo da classificação geral do competidor na disputa entre os carros. De acordo com eles, uma análise mais profunda mostrou que o segundo GPS estava funcionando.

“A direção de prova tomou a sua decisão em 6 de janeiro de 2013 seguindo a denúncia apresentada pelo competidor do carro número 303 com base em uma análise parcial técnica, que comprovava falhas de funcionamento do GPS principal. Outra análise mais abrangente e detalhada, com base no relatório final apresentado pelo ERTF (empresa responsável pelos equipamentos), concluiu que o segundo GPS estava funcionando normalmente”, anunciou a organização do Rally Dakar em uma nota oficial.

Com essa alteração, Sainz ficou ainda mais distante do francês Stéphane Peterhansel, que lidera o Dakar entre os carros com um tempo total de 5h34min26. O espanhol está apenas 10ª colocação, 42min42 atrás do líder. Nesta terça-feira, a quarta etapa do Dakar tem um percurso previsto de 429 quilômetros de trecho cronometrado, entre as cidades de Nazca e Arequipa, também no Peru.