O ex-atacante Oséas, que ficou imortalizado pela dupla com Paulo Rink em meados da década de 90 no Atlético, está morando em Salvador e apesar de ter pendurado as chuteiras ainda bate uma bolinha no ShowBol, competição que reúne jogadores aposentados. “É sempre bom rever os amigos e sempre jogo quando posso”, revelou.

O goleador participou de vários Atletibas e disse que ganhou mais do que perdeu. “Pelo que me lembro sim e fiz bastante gols também, mas a rivalidade era sadia porque tinha amigos no Coritiba. Clássico é realmente diferente. A cidade parava. Quando saía na rua, torcedores vinham falar comigo pedindo a vitória”, conta. “Ganhar do maior rival eleva o moral. Todos ficam na expectativa quando tem um jogo como esse”, completou.

Oséas conta que o clássico mais emocionante que disputou foi o Atletiba de 1996, disputado na Baixada válido pelo campeonato Brasileiro. “Estávamos jogando no Caldeirão e de fato eu não estava bem na partida. Errava muitos passes. Aí a torcida do Coritiba começou a pegar no meu pé gritando o meu nome, mas no final (47′ do 2.º tempo) fiz o gol que deu a vitória para o Atlético. Os coxas foram embora”, relembra. “Domingo vai ser 2 a 0 para o Atlético. Vou estar na torcida”, finaliza.