Pela segunda vez no ano, o técnico do São Paulo, Juan Carlos Osorio, teve que explicar em sua entrevista para a imprensa uma expulsão. Ao contrário da última vez, após o clássico contra o Palmeiras, quando falou bastante sobre o assunto, deste vez o colombiano optou por uma entrevista curta e respondeu apenas três perguntas. Ele evitou falar sobre sua rusga com o árbitro goiano André Luiz de Freitas Castro e manteve cara de poucos amigos durante os pouco mais de cinco minutos de coletiva.

“Acho que o começo de jogo foi favorável para nós. Controlamos a partida até os 30 minutos. Depois eles fizeram o gol e ainda tivemos uma grande oportunidade com Alexandre Pato”, disse Osorio, resumindo a partida na Arena Pernambuco.

Segundo Osorio, o problema das expulsões de Paulo Henrique Ganso e Luis Fabiano teriam sido o emocional. “Possivelmente o problema é porque há muita emoção. É algo que temos que melhorar, o controle emocional”, afirmou. “Não conversei com os jogadores. Acho que isso é uma decisão da diretoria, não minha. Não tenho falado com ninguém e não posso opinar sobre expulsões”, falou antes de encerrar a curta coletiva.

O São Paulo ocupa a sétima colocação no Campeonato Brasileiro com 24 pontos, seis a menos do que o líder Atlético Mineiro. Na próxima rodada, o time tricolor tentará reagir na competição contra o Cruzeiro, no domingo, no estádio do Morumbi.