Otimismo define o estado de espírito de Fernando Reis, principal nome do levantamento de peso do Brasil, às vésperas dos Jogos Olímpicos do Rio. O equilíbrio entre os competidores da categoria acima de 105kg dá confiança ao brasileiro e à comissão técnica na busca pela conquista inédita da modalidade. “A gente consegue brigar com eles, só concentrar, não pode ter erro”, diz.

O atleta ainda não esqueceu o “quase” no Mundial de Houston, em novembro de 2015, quando falhou e perdeu valiosas posições na classificação, e promete empenho na briga pelo pódio. Segundo o chefe de equipe, Edmilson Dantas, o pesista tem potencial para somar 445kg nas duas provas – arranco e arremesso – e até pode se superar. “Dá para surpreender, todo mundo está muito próximo nas marcas”, afirma.

A estimativa é que o próximo campeão olímpico do levantamento de peso totalize 460kg – marca obtida pelo georgiano Lasha Talakhadze, que herdou o título mundial do russo Aleksey Lovchev, pego no exame antidoping. Mas a evolução de Fernando desde o bicampeonato dos Jogos Pan-Americanos deve ajudá-lo a atingir suas metas.

“Tenho certeza que, se eu fizer uma boa competição, vou estar subindo ao pódio. É questão só de me divertir. E não tem de contar história na Olimpíada, tem de colocar o resultado em cima da mesa”, crava.

A polêmica de doping envolvendo competidores russos também pode dar um empurrão para o brasileiro no resultado final da prova no Rio. “É uma janela favorável, a gente teve o caso do russo (Lovchev) e vai subindo a cada degrau por causa desses acontecimentos.” A ansiedade de Fernando Reis só vai acabar no dia 16 de agosto, no Rio Centro.